5 intermediária órgãos de execução - puc minas

Click here to load reader

Post on 09-Nov-2021

3 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

untitled5.1 Pró-reitoria de Graduação
À Pró-reitoria de Graduação cabe a supervisão, orientação, coordenação e fiscalização
das atividades acadêmicas relativas ao ensino de graduação e ao seqüencial, que chegaram
ao 2° semestre de 2006 com 46.521 alunos matriculados. Nos processos seletivos de 2006
foram ofertados 109 cursos e para o 1º semestre de 2007 foram oferecidas 7.645 vagas.
Entre as várias ações da Pró-reitoria em 2006, destacam-se o acompanhamento do
ENADE, com 7.521 alunos inscritos e 41 cursos orientados, e a orientação de processos de
elaboração/revisão de projetos pedagógicos de cursos (45 ações).
Em 2006, 58% dos cursos avaliados pelo MEC obtiveram conceito CMB (Condições
Muito Boas) e 42%, CB (Condições Boas) de funcionamento.
Estrutura • Assessoria de Atividades Administrativas.
• Assessoria de Avaliação.
Principais atividades desenvolvidas • Elaboração de versão preliminar da política interna de estágio.
• Orientação dos cursos no processo de elaboração ou reforma de projetos pedagógicos.
• Reuniões de consolidações dos resultados da Avaliação dos Cursos de Graduação - ACG,
ENADE e do PROPAV.
• Orientação e acompanhamento das coordenações de cursos de graduação nas ações rela-
tivas ao Sistema de Avaliação de Ensino Superior (SINAES).
• Atualização, via web, do catálogo de cursos.
• Atendimento às demandas de dados estatísticos internos e externos (Censo educacional,
Catálogo de Cursos, Guia Abril do Estudante, PROPAV, ENADE, Formulário OEA).
• Intermediação, junto ao DATAPUC, das demandas administrativas de informatização de
processos que envolvem tomada de decisão.
• Acompanhamento do Portal do Coordenador.
• Acompanhamento da Plataforma PUC de Currículos.
• Integração de projetos de interesse na área acadêmica.
Órgãos de Execução Intermediária5
• Acompanhamento de aprimoramentos do SGA (Sistema de Gestão Acadêmica).
• Acompanhamento de novas implantações do SGE (Sistema de Gestão de Estágio).
• Elaboração e acompanhamento do cadastramento de alunos no ENADE.
• Implementação e atualização da informatização de Trabalho de Campo/Visita técnica.
• Elaboração e implementação do sistema de Gestão de Processos de Análise dos Projetos
Pedagógicos (GPP).
• Estudo da Implementação de novas funcionalidades do SGA Web (professor e aluno).
• Promoção do “Encontro de Coordenadores de Cursos de Graduação” nas unidades da PUC Minas
Coração Eucarístico, PUC Minas no Barreiro, PUC Minas no São Gabriel, nos Núcleos Universitários
de Betim e de Contagem, e nos campi de Arcos e de Poços de Caldas, totalizando onze encontros.
• Promoção do 8º e do 9º Seminário PROGRAD: Ensino de Graduação, respectivamente no 1º e no
2º semestre.
NATUREZA DA ATIVIDADE TOTAL
Orientação do processo de elaboração/revisão de projeto pedagógico de curso 45
Projetos considerados inviáveis do ponto de vista acadêmico ou financeiro 12
Projetos encaminhados ao CEPE - mudança de projeto ou proposição de novo curso 23
Propostas de alteração curricular analisadas 26
Fonte: Pró-reitoria de Graduação - Dados de dezembro/2006.
NATUREZA DA ATIVIDADE TOTAL
Fonte: Pró-reitoria de Graduação - Dados de dezembro/2006.
NATUREZA DA ATIVIDADE TOTAL
Fonte: Pró-reitoria de Graduação - Dados de dezembro/2006. ACG - Avaliação dos cursos de graduação
Visão quantitativa das ações relativas a projetos pedagógicos
Visão quantitativa das ações de acompanhamento (ENADE)
Visão quantitativa das ações de acompanhamento (ACG)
48
EVENTO DATA CIDADE
Capacitação MEC/INEP - Portal SIEDsup e Portal SINAES 11/12 Belo Horizonte
Encontro de Ciência, Arte e Cultura da PUC Minas em Betim, 1 03/11 Betim
Encontro de Pró-reitores de Graduação, 2 - ABESC 20 - 22/09 Brasília
Fórum de Pró-reitores de Graduação (Encontro Nacional) 21 - 24/05 Aracruz
Fórum de Pró-reitores de Graduação (Encontro Regional Sudeste) 10 -12/12 São Paulo
Oficina de Trabalho - ForGRAD: Políticas de Ação Afirmativa
e Acesso à Universidade: estratégias de gestão institucional 23 e 24/10 Ouro Preto
para acesso e permanência
Reunião Regional de Avaliação do PEC-G em Minas Gerais 21/12 Belo Horizonte
CAMPUS / UNIDADE CURSOS VAGAS ALUNOS
MATRICULADOS FORMADOS
PUC Minas no São Gabriel 12 (2) 1.005 6.937 1.126
Núcleo Universitário de Betim 11 795 5.449 877
Núcleo Universitário de Contagem 09 710 4.912 787
Campus de Arcos 07 390 1.945 400
Campus de Guanhães 02 80 68 -
Campus de Poços de Caldas 13 815 4.622 688
Campus de Serro 03 140 553 33
TOTAL 109 7.645 46.521 7.509
CONCEITOS OBTIDOS PELOS CURSOS NA AVALIAÇÃO DO MEC EM 2006
CMB CB
Informações gerais dos cursos
CMB - Condições muito boas / CB - Condições boas.
Fonte: Pró-reitoria de Graduação - Dados de dezembro/2006.
Fonte: SGA - Sistema de Gestão Acadêmica / DM - Ensino. (1) Estão somados a esta Unidade os dados referentes ao curso a distância de graduação em Ciências Contábeis, ofertado no Pólo de Juiz de Fora e de Sete Lagoas. (2) Neste item não foi considerado o curso de Ciências Sociais, uma vez que o mesmo passou a ser oferecido na PUC Minas Coração Eucarístico. Obs.: Número de cursos oferecidos nos processos seletivos de 2006. Número de vagas oferecidas no processo seletivo, para início no 1º semestre de 2007. Número de alunos matriculados no 2º semestre de 2006. Número de alunos formados no ano de 2006.
49
Coordenação de Estágio Integrado
Coordenadora: Profª Evanilde Maria Martins.
A Coordenação de Estágio Integrado é responsável por gerir a política de estágio da Universi-
dade juntamente com a Pró-reitoria de Graduação, o Conselho Técnico-administrativo de Estágio,
as coordenações de estágio dos campi, núcleos universitários e unidades acadêmicas e demais se-
tores envolvidos.
Atividades desenvolvidas • Implantação do Sistema de Gestão de Estágio - SGE, módulo acadêmico na PUC Minas Coração
Eucarístico.
• Gerenciamento, definição e liberação dos perfis dos usuários do Sistema, bem como treinamento
e acompanhamento dos usuários - professores, alunos, funcionários dos campi e das unidades.
• Suporte técnico quanto aos procedimentos implantados no SGE para os campi e unidades acadê-
micas e elaboração de manuais sobre procedimentos, de acordo com os diversos perfis de usuá-
rios do SGE.
• Participação na elaboração das normas relativas aos estágios curriculares de estudantes matricu-
lados nos cursos de graduação e seqüenciais da PUC Minas, aprovada pelo CEPE em 3 de abril,
conforme Resolução de nº 02/2006.
• Reestruturação do atendimento aos alunos.
• Cadastramento de todos os convênios de estágio no SGE, digitalização e criação do banco de
dados com as informações essenciais sobre os convênios.
• Participação na elaboração das estratégias de reorientação dos estágios internos da PUC Minas.
• Visitas às diversas instituições concedentes de campo de estágio, com a finalidade de melhor ade-
quar as práticas de estágio à política da PUC Minas.
Participação em eventos • Participação nos encontros do Fórum Mineiro de Estágio.
• Palestra sobre “Estágio: aspectos acadêmicos e jurídicos”, proferida na reunião anual da ABESC,
em Santa Maria, Rio Grande do Sul.
• Participação no Encontro: Estágios e prática na formação de professores, patrocinado pela
UNICAMP, Campinas.
PUC Minas - Relatório de Atividades 2006
Fonte: SGE - Sistema de Gestão de Estágio - Dados de novembro/2006. Obs.: O volume mensal representa o número de contratos de estágios ativos, podendo um aluno ser contado mais de uma vez, conforme o número de estágios em andamento.
Fonte: SGE - Sistema de Gestão de Estágio - Dados de novembro/2006.
Fonte: SGE – Sistema de Gestão de Estágio - Dados de novembro/2006.
JAN
6.666
11.407
FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
14.121
10.624
JAN
388
58
FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
513
2005
1.599
2006
1.382
2004
857
ANO
51
5.2 Pró-reitoria de Pesquisa e de Pós-graduação
Pró-reitor: Prof. João Francisco Abreu.
À Pró-reitoria de Pesquisa e de Pós-graduação cabe estimular, promover, supervisionar e coor-
denar a pesquisa e as atividades acadêmicas relativas ao ensino de pós-graduação.
Em 2006 foi ampliada a oferta de cursos de pós-graduação credenciados pela CAPES, bem como
apresentadas novas propostas de credenciamento. Novos incentivos foram dados à Iniciação Cien-
tífica, com incremento de bolsas, e houve ainda acréscimos no número de grupos de pesquisa, com
286 linhas de pesquisa cadastradas em 134 grupos, envolvendo mais de mil pesquisadores e quase
900 estudantes.
O intercâmbio e a divulgação da produção científica da PUC Minas têm como aliado o progra-
ma de financiamento de viagem de professores. Em 2006, 165 docentes participaram de dezenas de
eventos nacionais e internacionais com auxílio-viagem.
Visão geral da ações • Coordenação dos programas de Pós-graduação da PUC Minas.
• Expansão e consolidação dos programas de pós-graduação stricto sensu.
• Execução do Plano Permanente de Capacitação Docente.
• Incentivo aos docentes e discentes à pesquisa.
• Acompanhamento, do ponto de vista acadêmico, dos cursos de pós-graduação lato sensu.
• Presidência da Comissão de Pesquisa, responsável pelo julgamento, acompanhamento e avaliação
dos projetos de pesquisa de professores apresentados ao Fundo de Incentivo à Pesquisa - FIP - e
de projetos de pesquisa de alunos apresentados ao Programa de Bolsas de Iniciação Científica -
PROBIC.
• Presidência da Comissão de Gerência do PROSUP - Programa de Suporte à Pós-graduação de Ins-
tituições de Ensino Superior Particulares - da CAPES, na PUC Minas.
• Apresentou o resultado da pesquisa sobre os Bens Móveis e Imóveis de Minas Gerais inscritos nos
Livros de Tombo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, em Minas
Gerais, na forma de um Atlas Digital.
Principais atividades desenvolvidas Credenciamento pela CAPES de novos cursos de mestrado
Os Programas de Pós-graduação - nível de mestrado acadêmico - em Administração, Comuni-
cação Social e Relações Internacionais foram credenciados pela CAPES. Desta forma, ampliou-se a
oferta de cursos de pós-graduação stricto sensu da Instituição, que conta agora com 22 cursos, sen-
do 5 doutorados.
Apresentação de novas propostas para credenciamento pela CAPES Foi encaminhada à CAPES a proposta do Mestrado em Ciências da Religião. Foi ajustada e re-
feita, também, a proposta de Mestrado Interinstitucional com a Universidade Federal de Minas
Gerais – UFMG, na área de Ciências da Saúde, para o Campus de Poços de Caldas. Estas ações es-
tão previstas no âmbito da política de descentralização da pós-graduação, para o fortalecimento das
demais unidades.
Revisão de planejamento visando ampliar a participação dos doutores da pós-graduação na gra- duação
Baseado na premissa de que as experiências da pós-graduação, em termos de projetos de pes-
quisa e desenvolvimento de novas metodologias, constituem um importante componente no desen-
volvimento das práticas educativas no âmbito da graduação, foi feito um amplo estudo da participa-
ção dos docentes dos programas de pós-graduação nas diversas áreas de graduação da PUC Minas.
O resultado desses estudos permitiu, além de aumentar quantitativamente a participação des-
ses docentes na graduação, fortalecer a articulação ensino-pesquisa-extensão.
Foi feito um trabalho no sentido de redimensionar o tamanho dos programas em função das
definições da CAPES e da política interna de pós-graduação.
Auxílio-viagem Com o objetivo de aumentar o intercâmbio e a divulgação da produção científica da Instituição,
o programa de financiamento de viagens de docentes da PUC Minas para participação e apresenta-
ção de trabalhos, em congressos e seminários, concedeu auxílio para 165 professores/pesquisadores
em eventos nacionais e 40 em eventos internacionais. O programa financiou, também, a viagem de
203 professores de outras instituições qualificadas para a troca de experiências, através de partici-
pações em bancas e apresentações de seminários. Foi criado, também, o mecanismo de cotas para in-
serções internacionais dos programas de pós-graduação, visando à melhoria na avaliação da CAPES.
Novos incentivos à Iniciação Científica • Houve um acréscimo de 50 para 60 bolsas oferecidas pelo CNPq, dentro do programa PIBIC - Pro-
grama Institucional de Bolsas de Iniciação Científica. Quanto à FAPEMIG, a concessão aumentou
de 25 para 35 bolsas da quota institucional de Iniciação Científica, sendo também concedidas 44
bolsas de Iniciação Científica vinculadas a projetos, cujo financiamento foi originário de editais
específicos da FAPEMIG. Além disso, houve também um acréscimo na quantidade de bolsas de
iniciação científica financiadas pelo sistema empresarial.
• Publicação do Livro de Destaques dos trabalhos de Iniciação Científica realizados no ano corrente.
• Implementada a concessão de 1/2 (meia) bolsa de pesquisa para doutorandos que orientem bol-
sistas de iniciação científica vinculados ao PROBIC.
• Exigência da obrigatoriedade de o orientador de iniciação científica se vincular a Grupos de Pesquisa.
• Realização das oficinas de elaboração de projetos para alunos da PUC Minas.
Grupos de Pesquisa Houve um acréscimo no número de grupos de pesquisas: de 86, em 2004, para 134 em 2006.
Foram cadastradas 286 linhas de pesquisas, envolvendo 1.014 pesquisadores e 891 estudantes. A par
do crescimento quantitativo, iniciou-se uma política de ampliação da qualidade desses grupos. Para
tanto, foi organizada uma oficina para melhorar o desempenho dos grupos de pesquisa da Insti-
tuição.
53
TIPO 2004 2005 2006
Livros 13 11 09
Periódicos 17 21 11
TOTAL 30 32 20
Fonte: Editora PUC Minas.
Livros publicados ALVES, Junia de Castro Magalhães; NOE, Marcia. O Palco e a rua: a trajetória do teatro do Grupo
Galpão. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2006. 308p.
CAMPOS, Taiane Las Casas (Org.). Desenvolvimento, desigualdades e relações internacionais. Belo
Horizonte: Editora PUC Minas, 2006.
DINIZ, Eugênio. Política internacional - guia de estudo das abordagens realistas e da balança de poder. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2006.
DUARTE, Lélia Parreira (Org.). As máscaras de Perséfone: figurações da morte nas literaturas portugue-
sa e brasileira contemporâneas. Rio de Janeiro: Bruxedo; Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2006. 377p.
DUARTE, Lélia Parreira. Ironia e humor na literatura. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, São Pau-
lo: Alameda, 2006. 358p.
FRÚGOLI JÚNIOR, Heitor; ANDRADE, Luciana Teixeira de; PEIXOTO, Fernanda Arêas (Org.). As cidades e seus agentes: práticas e representações. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, São Paulo: EDUSP, 2006. 407p.
GALUPPO, Marcelo (Org.). Coletânea de Direito. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2006.
LOBATO, Wolney; SABINO, Cláudia de Vilhena Schayer; ABREU, João Francisco de (Org.). Destaques 2005 - Coletânea. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2006.
SOUZA, Matilde de (Org.). A agenda social das relações internacionais. Belo Horizonte: Editora
PUC Minas, 2006.
Periódicos publicados • Cadernos de Arquitetura e Urbanismo v. 13 n. 14 • Cadernos de História v. 8 n. 9 e v. 9 n. 10 • Fronteira - Revista de Iniciação Científica em Relações Internacionais v. 5 n. 9 • Horizonte - Núcleo de Estudos em Teologia v. 5 n. 8 • Scripta n. 18 e 19. • Economia & Gestão v. 6 n. 12 • Revista da Faculdade Mineira de Direito v. 9 n. 17 • Psicologia em Revista v. 12 n. 19 • Caderno de Estudos Jurídicos v. 9 n. 9
Editora PUC Minas - Publicações - Evolução
54
5.3 Pró-reitoria de Extensão
Pró-reitora: Profª Vera Maria Neves Victer Ananias.
Em 2006, o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da PUC Minas aprovou as diretrizes bási-
cas da política de extensão da Universidade, que está articulada com oito núcleos temáticos, envol-
vendo no ano, 228 programas e projetos.
A atividade de extensão vem ganhando um relevante espaço na sociedade e na comunidade
universitária brasileira nos últimos anos. Esse destaque é decorrente não apenas das mudanças do
mundo contemporâneo, que exigem um novo papel das instituições, mas também em função de
uma intensa ação das universidades na construção de uma identidade articulada com a busca da
superação das assimetrias sociais, a formação humana e cidadã, o desenvolvimento integral do ser
humano.
As práticas extensionistas da PUC Minas tiveram início na década de 60, a partir de iniciativas
isoladas dos departamentos e cursos de graduação, que promoviam atividades culturais, conferên-
cias, cursos e prestações de serviços às comunidades em situação de vulnerabilidade. Neste perío-
do, surgiram o Departamento de Assistência Jurídica e o Instituto de Orientação Juvenil (prestação
de serviços e estágios).
Em 1972, criou-se o Centro de Extensão, voltado, inicialmente, para a realização de cursos e a
promoção de eventos culturais. Gradativamente, foi ampliando sua atuação em trabalhos assisten-
ciais, desenvolvidos junto às populações em situação de vulnerabilidade social, por intermédio das
clínicas de odontologia e de psicologia, bem como dos serviços de assistência jurídica, que, hoje, in-
tegram os projetos pedagógicos dos respectivos cursos. Os projetos de intervenção social, iniciados
na década de 70 com os campi avançados de Araçuaí e Pirapora, desdobraram-se em outros mode-
los de ação social na Região Metropolitana da capital, bem como em vários municípios mineiros e
no Nordeste do País.
das, passa por um processo de institucionalização, conduzido por parâmetros legais que estabele-
cem normas e resoluções para sua estrutura e funcionamento. Em consonância com as recomenda-
ções da Política Nacional de Extensão Universitária, a PROEX estabelece como objetivos a serem al-
cançados:
• incentivar a produção do conhecimento e a formação cidadã da comunidade acadêmica;
• fomentar ações extensionistas que contribuam para o desenvolvimento sustentado das comuni-
dades-foco de atuação da universidade, pautando-se nos princípios humanistas que a regem;
• estimular a participação da comunidade universitária na produção e socialização do conhecimen-
to, estabelecendo o diálogo entre a criação cultural e as pesquisas científica e tecnológica, bem
como entre a instituição e a comunidade;
• fortalecer as atividades de extensão nos projetos pedagógicos dos cursos;
• promover a indissociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão, efetivados em torno de pro-
gramas e projetos construídos com base em critérios científicos, tecnológicos e em experiências
comunitárias;
forma de consórcios, redes ou parcerias, buscando desenvolver ações de solidariedade nacional e
internacional.
55
A extensão universitária, como atividade-fim, possibilita a ação da instituição diretamente nas
dinâmicas social, cultural e política de várias comunidades em seu entorno, agindo em prol da pro-
moção da cidadania, da inclusão e do desenvolvimento social. Essas práticas têm sido pensadas, atu-
almente, de forma articulada com o ensino e a pesquisa, possibilitando à comunidade acadêmica
uma interlocução com a sociedade e o cumprimento da missão da Universidade.
A extensão universitária apresenta-se, portanto, como um dos espaços privilegiados para pro-
moção de atividades acadêmicas de caráter interdisciplinar, integrando grupos de áreas distintas do
conhecimento, contribuindo para a modificação progressiva da forma de fazer ciência e da trans-
missão desse tipo de saber, bem como revertendo a tendência historicamente dominante de com-
partimentação do conhecimento da realidade.
Na PUC Minas, a extensão universitária como prática integradora tem sido realizada a partir da
ação das Coordenações de Extensão das Unidades PUC Minas Coração Eucarístico, no Barreiro e no
São Gabriel; dos Núcleos Universitários de Betim e de Contagem e dos Campi de Arcos, de Poços de
Caldas e de Serro, articuladas com os seguintes Núcleos Temáticos: Comunitário, Educativo, Institu-
to da Criança e do Adolescente, Meio Ambiente e Urbanismo, Observatório de Políticas Urbanas, Pro-
moção da Saúde, Sociedade Inclusiva e Trabalho, Produção e Tecnologia.
NÚCLEOS CAMPUS TOTAL
Comunitário 31 08 08 - 47
Educativo 32 02 06 - 40
Instituto da Criança e do Adolescente 06 05 02 - 13
Meio Ambiente e Urbanismo 25 03 - 01 29
Observatório de Políticas Urbanas 16 01 - 01 18
Promoção da Saúde 33 - 08 - 41
Sociedade Inclusiva 17 - 02 - 19
Trabalho, Produção e Tecnologia 18 - 02 01 21
TOTAL 178 19 28 03 228
Fonte: Pró-reitoria de Extensão.
As práticas extensionistas da Universidade, orientadas por sua missão e política acadêmica, es-
tão em consonância com as seguintes modalidades estabelecidas pelo MEC (que tiveram como base
documentos do Fórum Nacional de Pró-reitores das Universidades Públicas Brasileiras):
• Programas: “conjunto de projetos de extensão de caráter orgânico-institucional, com clareza de
diretrizes e orientadas a um objetivo comum em ação de médio a longo prazo”;
• Projetos: “conjunto de ações contínuas de caráter comunitário, educativo, cultural, científico e tec-
nológico”;
• Cursos: “conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico ou prático, planejadas e or-
ganizadas de modo sistemático, com carga horária mínima de 8 horas e processo de avaliação
formal”;
56
PUC Minas - Relatório de Atividades 2006
• Eventos: “ação extensionista que implica a apresentação e exibição pública e livre ou também com
clientela específica, do conhecimento ou produto cultural, científico e…

View more