11 silusba programa-final

Download 11 silusba programa-final

Post on 13-Jun-2015

617 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. PROGRAMA FINALO r g a n i z a o P a t r o c i n d o r e s</li></ul><p> 2. 3/NDICE5INTRODUO6 MENSAGENS DOS PRESIDENTES13PROGRAMA16 PROGRAMA DETALHADO33POSTERS36 VISITA TCNICA37EXPOSIO37EXPOSITORES38 PROGRAMA SOCIAL38 PACOTES TURSTICOS39 EXPOSIO FOTOGRFICA40COMISSES 3. 4 4. 5/INTRODUO11 SIMPOSIO DE HIDRAULICA E RECURSOS HDRICOS DOS PASES DE LINGUAPORTUGUESA/ VII CONGRESSO SOBRE PLANEAMENTO E GESTO DAS ZONASCOSTEIRAS DOS PASES DE EXPRESSO PORTUGUESAMaputo e o ndico acolhem em Maio de 2013 o 11 Simpsio de Hidrulica e Recursos Hdricos dosPases de Lngua Portuguesa (11 SILUSBA) e o VII Congresso sobre Planeamento e Gesto das ZonasCosteiras dos Pases de Expresso Portuguesa (VII CPGZC),este ano dedicados ao tema da Cooperaopara a gua.O ano de 2013 foi declarado pela Naes Unidas como o Ano Internacional da Cooperao pela guae ser dedicado identificao dos sucessos alcanados e dos desafios que permanecem na rea daeducao,diplomacia,gesto de bacias transfronteirias,financiamento e quadro legal da gesto dagua.O mundo assiste a um conjunto de desenvolvimento econmico desigual,ao crescimento populacionale migrao para as zonas urbanas e costeiras,a que se acrescentam os relacionados com asalteraes climticas.Estas tendncias acentuam os problemas actuais,colocam novos desafiose expem as limitaes existentes nos modelos de governana,nas infra-estruturas e nos serviospblicos. para debater destas questes que nos reunimos em Maputo.Participam no 11 SILUSBA e no VII CPGZC pases com uma dimenso quase continental,como o casodo Brasil,e pequenos pases,com caractersticas insulares como o caso de Cabo Verde e S.Tom ePrncipe.As realidades de natureza geogrfica,cultural,socioeconmica,institucional,ambiental sodistintas entre os pases,entre regies e entre locais e comunidades,mas reconhece-se que muitosproblemas so comuns e que a reflexo conjunta e partilha de experincias podem contribuir para asua resoluo. essa a razo de ser dos SILUSBA e dos CPGZC,os maiores eventos de cooperaocientfico-tcnica dos povos de lngua portuguesa.Em 2013,o 11 SILUSBA e o VII CPGZC so uma organizao da APRH-Associao Portuguesa dosRecursos Hdricos,ABRH-Associao Brasileira de Recursos Hdricos,ACRH-Associao Cabo-Verdiana de Recursos Hdricos e da AQUASHARE-Associao Moambicana dos Profissionais de gua,e da AMAIA Associao Moambicana de Avaliao de Impacte Ambiental e outras organizaeslusfonas que desenvolvem actividade nesta rea.Obrigado por participar.Maputo,Cidade das Accias Rubras2013 ANO INTERNACIONAL DA COOPERAO PARA A GUA 5. 6/MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSOORGANIZADORA LOCAL DO 11 SIMPSIO DEHIDRULICA E RECURSOS HDRICOS DOS PASESDE LNGUA PORTUGUESAManuel AlvarinhoO 11 SILUSBA vai ser de certeza uma Festa para os profissionais e acadmicos da gua.Mas para osde Moambique tambm um motivo de orgulho,de grande responsabilidade e um momento quasenico neste espao em que nos entendemos em portugus,de vrios feitios e cores!Para muitos do sector em Moambique,a ltima referncia o 3 SILUSBA,em Maputo,em 1997,hmais de 15 anos.Alguns de ns,privilegiados,vamos participando em outros eventos por esse mundo,nem sempre em portugus,infelizmente.Mas para muitos tcnicos moambicanos este ser umevento que vai marcar por muito tempo.Da o profundo apreo da Associao Aquashare por todosos que tornaram possvel esta realidade,em particular as nossas associaes irms dos pases deexpresso em portugus!Moambique vive ainda na premncia de um desenvolvimento,equitativo e sustentvel,que reduzasubstancialmente os ndices de pobreza.No entanto,como instrumento essencial,julgo que umamudana de mentalidade necessria para que nos projectemos para um novo patamar,de maiorprestgio do bom profissional e cientista,de desvalorizao de solues improvisadas,e de menorsobrevalorizao de postos de chefia. neste sentido que a Aquashare quer contribuir,por um corpo de tcnicos e quadros moambicanoscompetentes,sem vergonha de aprender dos outros,como o vamos fazer tambm neste SILUSBA.Porisso,dizemos na Aquashare:CRESCENDO JUNTOS NA PARTILHA DO CONHECIMENTO!. 6. 7/MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSOORGANIZADORA LOCAL DO VII CONGRESSO SOBREPLANEAMENTO E GESTO DAS ZONAS COSTEIRAS DOSPASES DE EXPRESSO PORTUGUESAKemal VazA Associao Moambicana para Avaliao de Impactos Ambientais,tem a honra de estar naorganizao deste nobre evento que consideramos ser de todo o interesse para Moambique,dadosos 2.470 km de orla martima,onde se encontram reas de elevado valor em termos de biodiversidade,mas tambm reas com elevado potencial econmico para o desenvolvimento turstico,pesqueiro ede explorao de recursos minerais,incluindo petrleo e gs que,se no devidamente planificados ecuidados,podem resultar numa maior fragilidade da costa e do patrimnio Nacional.Por outro lado a extensa faixa costeira e sua posio geogrfica em relao aos pases do interland,torna o pas particularmente vulnervel aos efeitos das mudanas climticas,sendo j notria emalgumas regies uma escassez de agua seguida de episdios de cheias severas com graves efeitos nodesenvolvimento de processos erosivos,pondo em risco modos de vida e infra-estruturas.Estamos certos que esta Conferncia ir trazer valiosas contribuies para a melhoria da gestocosteira em Moambique,bem como nos restantes pases aqui representados,aproveitando paraenderear a todos uma conferncia frutuosa e uma boa estadia.A todos participantes desejamos bom trabalho durante estes dias que se seguem. 7. 8/MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSOORGANIZADORA INTERNACIONAL DO 11. SIMPSIODE HIDRULICA E RECURSOS HDRICOS DOS PASES DELNGUA PORTUGUESARodrigo Proena de Oliveira um prazer dar-lhe as boas vindas ao 11 Simpsio de Hidrulica e Recursos Hdricos dos Pases deLngua Portuguesa (SILUSBA),este ano associado ao VII Congresso de Planeamento e Gesto das ZonasCosteiras.H mais de 20 de anos que os SILUSBAs,e os eventos que os antecederam,assumem a ideia quea partilha de conhecimento e de experincias essencial para superar os desafios comuns que secolocam aos nossos pases no domnio da gua.Nesse sentido,praticamos h muito A Cooperao pelagua,o tema deste 11 SILUSBA,do Ano Internacional das Naes Unidas e do Dia Mundial da gua de2013.Em Maputo prosseguimos nesse caminho,estreitando os laos que nos unem.O programa do evento espelha bem este esprito e a vitalidade da comunidade hdrica de lnguaportuguesa.O nmero de comunicaes e de posters a apresentar excede em larga medida os dasedies anteriores e,na sua diversidade,cobre uma variedade de temas com interesse para a gestodos recursos hdricos,desde as opes de poltica e de governana aos aspectos cientficos e tcnicos,passando pelas reas do direito,da participao pblica e da comunicao.Antecipo um debate muitointeressante e enriquecedor,no momento em que assistimos a importantes transformaes ao nvelglobal com implicaes directas na gesto da gua e das bacias hidrogrficas.A exposio tcnica queacompanha o SILUSBA tambm reflexo da dinmica de aprofundamento das relaes econmicasentre os nossos pases.Agradeo o trabalho voluntrio de muitas pessoas que participaram nas comisses organizadorase cientficas ou que contriburam para o evento de forma annima,e ainda o patrocnio e o apoio devrias entidades e empresas.A organizao deste evento no teria sido possvel sem o seu contributo.Desejo a todos um bom trabalho e uma boa estadia em Maputo. 8. 9/MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSOORGANIZADORA INTERNACIONAL DO VII CONGRESSOSOBRE PLANEAMENTO E GESTO DAS ZONASCOSTEIRAS DOS PASES DE EXPRESSO PORTUGUESAPedro Bettencourt Correia atualmente consensual que as zonas costeiras constituem reas territoriais particularmentesensveis e dinmicas.No espao dos pases de expresso portuguesa h um conjunto de pontoscomuns quer ao nvel dos problemas identificados e das suas consequncias,quer ao nvel dassolues,sejam elas de proteo e estabilizao costeira ou das melhores prticas de planeamento egesto das faixas litorais.O VII Congresso sobre Planeamento e Gesto das Zonas Costeiras dos Pases de ExpressoPortuguesa constitui um espao de troca de conhecimento e de debate,com o objetivo de potenciar odesenvolvimento sustentvel das faixas costeiras.Moambique no momento atual o local ideal para uma discusso desta natureza:o Pas est emrpida transformao constituindo a orla costeira um espao vital para o desenvolvimento.Tal comoem outros pases de expresso portuguesa no litoral moambicano que se jogam intensos esforosde modernizao dos transportes e acessibilidades,de expanso e requalificao das estradas,dedesenvolvimento do setor turstico,de implementao de novas indstrias e formas de produo,deinstalao de novos plos de produo de energias renovveis e no renovveis.Incidindo numa faixa de elevado dinamismo e vulnerabilidade o desenvolvimento tem um preo,e exige uma constante adaptao em funo da capacidade de carga dos sistemas naturais.Asustentabilidade exige conhecimento,vontade,planeamento e capacidade de gesto.O VII Congresso sobre Planeamento e Gesto das Zonas Costeiras dos Pases de Expresso Portuguesaser assim um espao de partilha de experincias,de discusso de modelos de planeamento e gesto,e de solues de engenharia costeira e ordenamento territorial,temas que so essenciais em todo omundo de expresso portuguesa.Bem vindos a Maputo! 9. 10/MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSO CIENTFICADO 11. SIMPSIO DE HIDRULICA E RECURSOS HDRICOSDOS PASES DE LNGUA PORTUGUESADinis JuizoMaio de 2013 em Maputo,a cidade das accias,e tem como temaCooperao para gua,um temaglobal que coincide com os objectivos perseguidos pela lusofonia.Apraz-nos notar a grande participao que o evento deve com um conjunto inicial de mais de 250propostas de comunicaes para o evento,o que demonstra o potencial e a importncia deste eventocomo um veculo de comunicao cientfica entre as nossas comunidades do espao lusfono.Os artigos que finalmente foram submetidos e sero apresentados neste evento trazem consigono apenas os resultados da investigao realizadas nos nossos diversos pases mas tambm asmensagens e recomendaes que constituem a verdadeira troca de experincia e promoo da nossacooperao visando ultrapassar as questes que se entrepem no desenvolvimento das nossassociedades.Ao ler os diversos trabalhos submetidos para este Simpsio fica claro que o primeiro objectivo quetnhamos para este evento foi ultrapassado,a partilha de conhecimentos e inovao numa perspectivade cooperao para a entreajuda na soluo dos problemas comuns.Contamos com a participao de todos,autores e demais participantes para o sucesso do evento,esperamos por isso que participem nos debates que se seguiro s comunicaes e outros momentoscriados para partilha de conhecimentos que iro certamente enriquecer este evento nico da lusofonia. 10. 11/MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSOCIENTFICA DO VII CONGRESSO SOBREPLANEAMENTO E GESTO DAS ZONAS COSTEIRASDOS PASES DE EXPRESSO PORTUGUESAJoo Alveirinho DiasBem vindos ao VII Congresso sobre Planeamento e Gesto das Zonas Costeiras dos Pases deExpresso Portuguesa que se realiza na bela cidade de Maputo.So diversificadas as problemticasque atualmente caracterizam as zonas costeiras mundiais,de que ressaltam as derivadas daconcentrao da populao junto ao litoral,as relacionadas com a ocupao de zonas de elevado risco,as que so consequncia das atividades antrpicas nas bacias drenantes,e as concatenadas com aalterao climtica global,designadamente com a elevao mdio do mar.Neste contexto, de toda arelevncia que a comunidade cientfica de uma das principais comunidades mundiais,a dos Pases deLngua Portuguesa,com dimenso multicontinental,se rena para debater as problemticas aludidas,para permutar experincias,e para,conjuntamente,procurar encontrar solues.Esta srie de Congressos,iniciada em 2001 em Ponta Delgada (Aores,Portugal),j passou pelo Recife(PE,Brasil),por Maputo (Moambique),pelo Funchal (Madeira,Portugal),por Itaja (SC,Brasil) e pelaBoavista (Cabo Verde),volvendo este ano,novamente,a esta bela cidade de Maputo.Em comparaocom a comunidade cientfica existente aquando do 1 Congresso,estamos agora seguramenteperante uma comunidade mais amadurecida,mais esclarecida e mais competente para responder aosimportantes desafios que,nas zonas costeiras,se impem sociedade.Os cerca de 280 milhes de falantes de portugus (5 lngua mais falada no mundo,a 3 mais faladano hemisfrio ocidental e a mais falada no hemisfrio sul da Terra) confiam na nossa comunidadecientfica para,atravs da gesto esclarecida das zonas costeiras (principal recurso marinho),encontrar respostas que viabilizem o desenvolvimento de uma sociedade mais justa,mais equilibradae mais sustentvel.Este Congresso ser,sem dvida,uma importante pea na perseguio dessedesiderato. 11. 12 12. 13PROGRAMABy Hansueli Krapf 13. 14II CURSO INTENSIVO DE GESTO COSTEIRA: PLANEAMENTO EORDENAMENTO DAS FAIXAS COSTEIRASLOCAL: AUDITRIO DA UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE6 FEIRA, 248:30 9:00 | SESSO DE ABERTURAJoo Alveirinho Dias, Presidente da Comisso Cientfica do Congresso de Planeamento e Gesto deZonas Costeiras dos Pases de Expresso Portuguesa.Rodrigo Proena de Oliveira, Presidente da Comisso Organizadora Internacional do Simpsio deHidrulica e Recursos Hdricos dos Pases de Lngua Portuguesa.Kemal Vaz, Presidente da Comisso Organizadora Local do Congresso de Planeamento e Gesto deZonas Costeiras dos Pases de Expresso Portuguesa.9:00 10:00 | OS DESAFIOS ACTUAIS DE PLANEAMENTO E GESTO DAS FAIXASCOSTEIRASPedro Bettencourt Correia, Nemus - Gesto e Requalificao Ambiental, Lda10:00 10:30 | Coffee Break10:30 11:30 | EVOLUO E DINMICA COSTEIRA NOS LTIMOS 20 000 ANOSJoo Alveirinho Dias, Universidade do Algarve, Portugal11:30 12:30 | ENGENHARIA COSTEIRA E EVOLUO COSTEIRA:3 CASOS DE ESTUDOFernando Veloso Gomes, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Portugal12:30 14:00 | Almoo14:00 15:00 | ALTERAES CLIMTICAS:EFEITOS NAS FAIXAS COSTEIRASCarlos Csar Jesus, Nemus - Gesto e Requalificao Ambiental, Lda15:00 16:00 | BIODIVERSIDADE NAS FAIXAS LITORAISAlima Taj, Beta - Engenharia, Gesto e Ambiente, Lda16:00 16:30 | Coffee Break16:30 17:30 | AVALIAO DE IMPACTO AMBIENTAL E AVALIAO AMBIENTALESTRATGICA:2 CASOS DE ESTUDOPedro Bettencourt Correia, Nemus - Gesto e Requalificao Ambiental, LdaSebastio Teixeira, Agncia Portuguesa do Ambiente, IP, Portugaldia24 14. 15SBADO, 259:00 10:00 | O PAPEL DA ENGENHARIA COSTEIRA NA REQUALIFICAO EESTABILIZAO COSTEIRA:O ESTADO DE ARTEFernando Veloso Gomes, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Portugal10:00 10:30 | Coffee Break10:30 11:30 | AVALIAO E GESTO DE RISCO NA FAIXA COSTEIRASebastio Teixeira, Agncia Portuguesa do Ambiente, IP, Portugal11:30 12:30 | DA VISITA DE CAMPO:LITORAL DE MAPUTO LITORALARTIFICIALIZADOEnrique Castillo / Alima Taj,Beta - Engenharia,Gesto e Ambiente,Lda12:30 14:00 | Almoo14:00 15:30 | MODELOS DE PLANEAMENTO E GESTO DA ORLA COSTEIRA:CASOS DE ESTUDOGabriela Moniz, Agncia Portuguesa do Ambiente, IP, PortugalMarinez Scherer, Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil15:30 16:00 | Coffee Break16:00 17:00 | DEBATE:GESTO COSTEIRA, PAISAGEM E SUSTENTABILIDADE;OPES E COMPROMISSOS...</p>