1 Primeiros socorros e Sobrevivência Dionísio

Download 1 Primeiros socorros  e Sobrevivência Dionísio

Post on 18-Jun-2015

2.715 views

Category:

Documents

6 download

TRANSCRIPT

<p>PRIMEIROS SOCORROS E SOBREVIVNCIAJos Dionsio de Paula Jnior UNIPAC-Enfermagem</p> <p>Introduo Primeiros socorrosaes</p> <p>iniciais e imediatas; locais adversos; depende de conhecimentos; bom senso; Tolerncia; calma; preparo psicolgico e tcnico. O primeiro atendimento, quando mal sucedido, pode levar vtimas de acidentes seqelas irreversveis. Sobrevivncia: so tcnicas e conhecimentos que serviro para o indivduo em situaes de extrema necessidade.</p> <p>Requisitos</p> <p>Primeiros socorros</p> <p>Anlise primria12345Verifique o nvel de conscincia; Abra as vias areas respiratrias; Verifique a respirao; Verifique os batimentos cardacos; Proteo cervical (inconsciente).</p> <p>Primeiros socorros</p> <p>Anlise secundria1- Proceda o exame da cabea aos ps; 2- Questione a vtima (se possvel); 3- Questione as testemunhas (se houver).</p> <p>Primeiros socorros</p> <p>Colocao do colar cervical</p> <p>Primeiros socorros</p> <p>Parada cardiorrespiratria a ausncia das funes vitais, movimentos respiratrios e batimentos cardacos, leva morte no perodo de 3 a 5 minutos. Sinais e sintomas Inconscincia; Ausncia de movimentos respiratrios e batimentos cardacos.</p> <p>Parada cardiorrespiratriaA leso cerebral comea a ocorrer em cerca de 3 minutos e aps 10 minutos de ausncia de circulao as chances de ressuscitao so prximas a zero.Incline a cabea para trs e escute a respirao (VR, OUVIR E SENTIR). Se a vtima no tem movimento respiratrio, feche o nariz com os dedos. Cubra sua boca com a sua e assopre(ventile) verifique se o trax eleve. D duas respiraes de dois segundos cada uma</p> <p>Parada cardiorrespiratria1. Posicionar a vtima em DDH (Decbito Dorsal Horizontal) ou seja deitada de costas sobre uma superfcie rgida. 2.Efetuar 30 compresses torcicas. 3.Efetuar 2 ventilaes. 4.Manter as compresses e ventilaes na freqncia 30:2. 4.Verificar o pulso central a cada 2 minutos: se no houver pulso, RCP deve ser reiniciada pelas 30 compresses torcicas.</p> <p>PROCEDA 04 a 06 CICLOS E REPITA A ANLISE PRIMRIA</p> <p>Exposio ao calor</p> <p>Em condies normais, quando a temperatura ambiente sobe, o corpo, para manter a sua temperatura dentro de parmetros compatveis com um estado saudvel, transpira. Mas se essa transpirao for excessiva, o corpo pode desidratar e dar origem a uma situao grave de sade. Pode tambm acontecer que o mecanismo da sudao no cause o abaixamento da temperatura corporal e, nesse caso, uma alta temperatura corporal, a par de um grau excessivo de desidratao, pode provocar danos irreversveis no crebro ou em outros rgos.</p> <p>Exposio ao calor</p> <p>So mais vulnerveis ao calor, necessitando, por essa razo, de maior ateno: - As crianas nos primeiros anos de vida - As pessoas idosas; - Os portadores de doenas crnicas, nomeadamente os que sofrem de afeces cardacas, respiratrias, renais, diabetes e doena mental - As pessoas acamadas; - As pessoas obesas; - Atleta em atividade Fsica intensa em condies de temperatura elevada.</p> <p>Exposio ao calorO que fazer? de uma forma geral, tentar reduzir a temperatura do corpo. Retirar a vtima do local, humedecer a cabea e o tronco com gua fria, oferecer lquidos vontade.</p> <p>InsolaoOcorre devido exposio prolongada dos raios solares sobre o indivduo. Sinais e sintomas Temperatura do corpo elevada; Pele quente, avermelhada e seca; Diferentes nveis de conscincia; Falta de ar; Desidratao; Dor de cabea, nuseas e tontura.</p> <p>InsolaoAes Bsicas: Remover a vtima para lugar fresco e arejado; Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, envolvendo-a com toalhas umedecidas; Oferecer lquidos em pequenas quantidades e de forma freqente; Mant-la deitada; Avaliar nvel de conscincia, pulso e respirao; Providenciar transporte adequado; Encaminhar para atendimento hospitalar.</p> <p>IntermaoOcorre devido ao do calor em lugares fechados e no arejados (fundies, padarias, caldeiras etc.) intenso trabalho muscular. Sinais e sintomas Temperatura do corpo elevada; Pele quente, avermelhada e seca; Diferentes nveis de conscincia; Falta de ar; Desidratao; Dor de cabea, nuseas e tontura; Insuficincia respiratria.</p> <p>Intermao </p> <p>Primeiros socorros Remover a vtima para lugar fresco e arejado; Baixar a temperatura do corpo de modo progressivo, aplicando compressas de pano umedecido com gua; Mant-la deitada com o tronco ligeiramente elevado; Avaliar nvel de conscincia, pulso e respirao; Encaminhar para atendimento hospitalar.</p> <p>Golpe de calor</p> <p>Esta situao ocorre quando o corpo no consegue controlar a sua prpria temperatura. Os mecanismos da sudao falham e a temperatura sobe rapidamente, podendo, em 10-15 minutos, atingir os 39 graus Celsius, o que pode causar a morte ou uma deficincia crnica se no for prestado tratamento de forma clere. Sinais e sintomas: - Temperatura corporal alta - Pele vermelha, quente e seca, sem suor - Pulso rpido e forte - Dor de cabea - Tonturas - Nuseas - Confuso - Perda de conscincia</p> <p>Golpe de calor</p> <p>Perante esta situao necessrio: - Consumir lquido em abundncia, mesmo que no tenha sede; - Baixar a temperatura corporal; - Procurar uma sombra ou um lugar fresco; - Vestir roupas frescas e Isolantes; -DECLINAR A TEMPERATURA DO CORPO.</p> <p>Exposio ao solCUIDADOS BSICOS Protetor solar de fator duradouro; Chapu; culos com filtro de proteo; Roupas leves ( poliamida).</p> <p>AclimatarPara as pessoas que se deslocam de um lugar com clima frio ou temperado para um local quente importante a aclimatao ao corpo, durante alguns dias, para aumentar a tolerncia s altas temperaturas, antes de se exporem ao sol ou comearem a fazer exerccio fsico.</p> <p>calorAlgumas bebidas, como as alcolicas podem aumentar a desidratao, pelo que so desaconselhadas, o mesmo acontecendo com as bebidas gaseificadas, com cafena, ricas em acar.</p> <p>Sal e MineraisCom a sudao perde-se uma quantidade importante de sal e minerais do organismo, podendo essa falta ser responsvel por diversos sintomas como fraqueza, cansao, dificuldade de concentrao, cibras, entre outras. por isso, muito importante que, para alm de garantir a hidratao, se reponham os sais minerais.</p> <p>Sal e MineraisEsta reposio pode ser feita atravs de sumos de frutas, que contm sais minerais no seu estado natural, ou, caso no seja possvel, atravs de substncias contenham esses minerais.</p> <p>Bebidas IsotnicasSo para reporem rapidamente os lquidos e eletrlitos que o organismo perde a travs da transpirao, durante a prtica de exerccios fsico intenso.</p> <p>AlimentaoEvitar comer muito s refeies e evitar, tambm, a comida pesada ou picante.Depois de comer, esperar/descansar um pouco antes de comear com tarefas que exijam esforo fsico.</p> <p>AlimentaoBalanceada; Diversificada; Horrios alternados; Evitar lquidos e refrigerante; Ingerir frutas com o estmago vazio</p> <p>DesidrataoConceito A desidratao consiste na perda de gua e eletrlitos, importantes para a manuteno do equilbrio do Corpo Humano.</p> <p>DesidrataoEssas perdas desencadeada por fatores como diarria, (poliria /diabetes), transpirao, vmitos e febre, Calor e atividade fsica intensa.</p> <p>DiarriaAs diarrias constituem uma das afeces mais comuns em todo o mundo. Afetam pessoas de todas as idades e so uma das principais causas de mortalidade infantil em pases em desenvolvimento. Consiste no aumento do nmero de evacuaes (fezes no necessariamente lquidas) e/ou a presena de fezes amolecidas ou at lquidas nas evacuaes.</p> <p>infecciosa ou</p> <p>alimentar</p> <p>Fatores que predispem a desidrataoIdade; Constituio anatmica e fisiolgica; Desnutrio; Clima quente; Hbitos de Higiene; Atividade fsica intensa.</p> <p>DesidrataoIndicaes: Soro Caseiro; Soluo Caseira Alternativa; Terapia de Reidratao Oral TRO</p> <p>CibrasEmbora menos grave que as anteriores, esta situao pode tambm necessitar de tratamento mdico. Normalmente afeta as pessoas que transpiram muito, devido a exerccio fsico intenso, podendo tambm acontecer, apenas, devido ao calor.</p> <p>CibrasO que fazer: Parar o exerccio; Procurar um local fresco e calmo; Beber sumos ou bebidas com minerais.</p> <p>AfogamentoExplicao cientfica Entende-se por afogamento a asfixia em meio lquido. Sinais e sintomas Agitao, dificuldade respiratria, inconscincia, parada respiratria, parada cardaca.</p> <p>Afogamento1 - Aproxime-se da vtima pelas costas, segure-a e mantenha-a com a cabea fora dgua. Procurar retirar os objetos estranhos que possam estar na boca e Iniciar imediatamente a respirao de socorro BOCA-ABOCA. 3 - Coloque a vtima em decbito dorsal (deitada de costas), com a cabea mais baixa que o corpo, quando fora dgua; 4 - INSISTA na respirao de socorro BOCA-A-BOCA, se necessrio 5 - EXECUTE a massagem cardaca externa, se a vitima apresentar ausncia de pulso e pupilas dilatadas 6 - Friccione vigorosamente os braos e as pernas do afogado, estimulando a circulao 7 - Remova IMEDIATAMENTE a vitima para o SERVIO DE SALVAMENTO ou o hospital mais prximo.</p> <p>Afogamento</p> <p>Prevenindo AfogamentosO afogamento geralmente causa danos irreversveis no organismo, pois, mesmo quando no ocorre a morte, podem ficar severas leses neurolgicas nos sobreviventes; a conduta mais prudente a preveno.</p> <p>37</p> <p>Algumas orientaes so importantes:</p> <p>Normas de preveno</p> <p>1. No nadar em reas isoladas nem mergulhar em locais desconhecidos;</p> <p>38</p> <p>Normas de preveno2. No nadar em locais com pedras ou correnteza forte; 3. Evitar a associao lcool/natao;</p> <p>39</p> <p>40</p> <p>AltitudeAltitude de um ponto na Terra a distncia medida na vertical entre o nvel mdio do mar a esse mesmo ponto.Picos mais altos de cada um dos continentes Monte Everest - 8 844m (sia) Aconcgua- 6 962m (Amrica do Sul) Monte McKinley (Denali) - 6 194m (Amrica do Norte) Kilimanjaro - 5 892m (frica) Monte Elbrus - 5 642m (Europa) Macio Vinson - 4 892m (Antrtica)</p> <p>o ar na montanha no tem menos oxignio do que o ar ao nvel do mar. O problema est na captao deste oxignio. "Seja a 8000 m ou em Santos, a porcentagem de oxignio no ar a mesma, cerca de 30%. Contudo, a presso parcial do ar atmosfrico diminui com a altitude"</p> <p>O que o Mal da Altitude</p> <p>O mal da altitude nada mais seno a dificuldade do organismo em absorver oxignio para suprir as necessidades a que estamos impondo, o que acaba por causar uma srie de efeitos, que podem at culminar com a morte do indivduo. Por mera adaptao fsica, a presso dos gases dentro do corpo (seja no sangue, entre as articulaes ou nos pulmes) aumenta. A alta presso do ar no corpo pode causar edemas cerebrais, pulmonares ou oculares. Esses problemas se intensificam se a escalada acontecer muito rpido, dificultando a adaptao do corpo diferena de presso.</p> <p>SINTOMAS1. 2. 3. 4. 5. 6.</p> <p>aumentando a freqncia respiratria. dores de cabea; Nuseas; lentido de raciocnio; dores musculares; fadiga e taquicardia;</p> <p>Por esta razo, fundamental realizar a "aclimatao", ou seja, dar tempo para o corpo se adaptar s diferentes condies do ambiente.</p> <p>O que possvel fazer para amenizar (ou eliminar) esses sintomas?* O melhor subir aos poucos, ou seja, viajar a alturas sucessivamente maiores e dar tempo suficiente para a adaptao; Solues mais seguras so a aspirina, a cafena e, nos pases andinos, o ch de coca todos so capazes de amenizar os efeitos da altitude.</p> <p>Ateno: Alguns medicamentos de uso Polmico * O Diamox (acetazolamida), que ajuda a metabolizar mais oxignio;consumo deve comear 24 horas antes da chegada ao destino, duas ou trs vezes ao dia.</p> <p>* Dexametasona * Gingko biloba, um fitoterpico</p> <p>A HipotermiaA Hipotermia a queda da temperatura corporal. A temperatura central mdia do corpo humano varia entre 36,5 C e 37,5 C. Quando a temperatura cai abaixo de 35C, j se pode considerar um caso de hipotermia. Se a temperatura corporal cair para 26C, o caso de Hipotermia considerado grave. Nos casos mais leves, a Hipotermia causa diminuio da freqncia cardaca e da presso arterial, e a respirao torna-se lenta e superficial; nos casos mais graves, pode ocorrer tremores, perda de conscincia e at morte.</p> <p>A Hipotermia A queda da temperatura corporal muito perigosa porque pode comprometer o funcionamento de rgos vitais como o corao, pulmo, intestinos e fgado, ocasionando arritmias cardacas, edema de pulmo, enfarte do miocrdio, acidente vascular cerebral, parada cardaca e respiratria, dentre outras. A sonolncia provocada pela reduo da circulao e dos batimentos cardacos pode levar ao coma, e a mortalidade por Hipotermia alta. Porm, se a vtima for socorrida a tempo, pode no sofrer nenhuma seqela.</p> <p>HipotermiaA Hipotermia uma das principais causas de morte entre os excursionistas e montanhistas. A situao se agrava porque muitas vezes, por desconhecimento do assunto, acaba-se confundindo a Hipotermia com cansao ou exausto, e no so tomados os cuidados necessrios.</p> <p>Hipotermia</p> <p>A Hipotermia ocorre geralmente aps exposio prolongada ao frio, no necessariamente a temperaturas extremamente baixas, e pode ser atingida rapidamente (pela imerso em gua gelada ou no contato direto com neve e gelo), ou lentamente, quando a pessoa fica exposta a temperaturas muito frias, o que agravado quando h vento, umidade ou chuva.</p> <p>HipotermiaA Hipotermia pode ser dividida em trs fases:A Hipotermia considerada leve quando a temperatura do corpo fica entre 35C e 33C. Nesse estgio, os sintomas so cansao, tremores, irritao, calafrios e esfriamento da pele. No segundo estgio, a Hipotermia Moderada, a temperatura pode cair de 33C at 30C. Aqui as reaes do corpo comeam a ser mais violentas: o tremor torna-se intenso e a coordenao motora comea a apresentar falhas: a vtima tem dificuldade de realizar tarefas simples, como dar um n.</p> <p>Grave, com a temperatura corporal caindo abaixo de 30C e podendo chegar at 26C. Nessa fase, os calafrios param e a pessoa fica exausta, os msculos no mais respondem e a pessoa j no pode caminhar. As pupilas tendem a dilatar e a freqncia cardaca e respiratria so quase imperceptveis. O atleta pode ficar imvel e inconsciente, podendo at mesmo entrar em coma.</p> <p>Hipotermia</p> <p>Gabriel Buchmann</p> <p>Familiares disseram que Gabriel foi visto pela ltima vez por um guia de turismo quando escalava a montanha Mulanje, em um parque do Malui. Peritos que realizaram a necropsia do corpo do economista concluram que ele morreu de hipotermia (reduo brusca da temperatura corporal)</p> <p>Hipotermia: Como agir</p> <p>Aos primeiros sinais de queda da temperatura corporal, pare a atividade que estiver fazendo e procure um abrigo, isolando-se do frio. Sacos de lixo, tetos de barraca, isolante trmico e cobertores de emergncia ajudam muito nessa hora. Se as roupas estiverem molhadas, retire-as e coloque num saco de dormir (no coloque em contato direto com o solo, porque este rouba muito calor). Coloque roupas quentes e secas, e cubra-se (ou vtima) com um cobertor. Faa uma fogueira ou aproxime a vtima de uma fonte de calor, como uma lmpada. Melhor ainda se for possvel dar um banho quente na pessoa com Hipotermia. Massagens vigorosas no corpo da vtima tambm podem ajudar a aquec-la; Bebidas quentes e aucaradas ajudam bastante, pois passam o calor para a parte interna do corpo; monitorar a temperatura da vtima, para verificar se as tentativas de aument-la esto dando certo.</p> <p>Hi...</p>

Recommended

View more >