05/2012 - jornal semanrio

Download 05/2012 - Jornal Semanrio

Post on 07-Mar-2016

374 views

Category:

Documents

11 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Semanário - Edição 2826 – 26/05/2012 - Bento Gonçalves

TRANSCRIPT

  • Pgina 17

    Projeto vai ser votado na segunda

    Pgina 9

    FICHA LIMPA

    RevitalizaoRevitalizaoRevitalizaooficializadaoficializadaoficializada

    MU

    RILO

    CA

    RVA

    LHO

    ARQ

    UIV

    O

    Doao de Sangue

    SETE MESES DE ESTIAGEM

    Bento tem estoque para apenas trs diasNvel do banco de sangue do Hospital Tacchini considerado crtico para atender demanda

    O NOVO MUNICIPAL

    Corsan descarta racionamentoPgina 11

    Pgina 16

    www.jornalsemanario.com.br

    BENTO GONALVES

    Sbado26 DE MAIO DE 2012

    ANO 45 . N2826R$ 2,50

    CaravaggioPgina 27

    Prefeitura vai avaliar pontos da legislao

    Pgina 10

    LEI DOS TXIS

    Comrcio cobra mais efetivo para polcias

    Pgina 29

    INSEGURANA

    www.jornalsemanario.com.br

    BENTO GONALVES

    Sbado26 DE MAIO DE 2012

    ANO 45 . N2826R$ 2,50

    Celebrao e f emCaravaggioCelebrao e f emCaravaggioCelebrao e f em

  • Ressocializao pelo trabalhoEDITORIAL

    Um dos problemas que mais afligem a sociedade brasi-leira atualmente a ressocializao dos presidirios. O que se deve fazer com aquela pessoa que agiu de forma ilcita, que transgrediu as normas ditadas pelo Estado? Mant--lo encarcerado e seguir risca a pena de cerceamento da liberdade, ou criar mecanismos de reinsero na socie-dade, das quais o trabalho uma das formas mais elogi-veis e eficazes? Em meio a um modelo catico que lida com superpopulao e pssimas condies dos presdios,

    Deve-se pensar urgen-temente na segunda al-ternativa.

    Mas o que se v atu-almente no Brasil, no entanto, so institui-

    es penitencirias conhecidas como escolas do crime que no cumprem seu papel ressocializante. Talvez tal fato possa ser comprovado com as altas taxas de fugas e rebe-lies que hoje existem no Brasil, bem como atravs das taxas de reincidncia dos presos brasileiros.

    Se a forma atravs da qual o infrator punido tem que ser eficaz e a pena justa, uma vez que o condenado deve estar recuperado quando sair da priso, pronto para reincorporar-se sociedade e no mais agir em desacordo com a lei, atravs do trabalho que esse ideal pode se tornar realidade. A penitenciria de Bento Gonalves, que vive, em menor ou maior grau, as mesmas mazelas de ou-tras casas de deteno espalhadas pas afora, aposta nisso.

    preciso, cada vez mais, buscar alternativas para que

    O trabalho possibilita ao condenado alcanar sua recuperao facilmente. No entanto, somente o trabalho no suficiente para recuperar o preso

    O texto para esta seo deve conter aprox. 2.500 caracteres,incluindo os espaos, e ser enviado para o endereo de e-mail redacao@jornalsemanario.com.br

    KAROLYN SASSI OGLIARIDoutora em Cincias e especialista em reproduo humana

    os infratores possam ser recolhidos em instituies capa-citadas que tratem o interno como um ser humano que errou e deve refletir sobre seus atos para que no mais os pratique em desacordo com a lei e, dessa forma, possa ser reincorporado sociedade. O apenado, ao ser tratado com dignidade e respeito, v que possvel recuperar-se e no mais ter uma vida delituosa como antes.

    Antes disso, inarredvel que existam certas condies para que a recuperao do infrator ocorra, como uma ins-tituio penitenciria idnea, funcionrios capacitados, e garantir condies humanitrias para o recolhimento dos apenados. Desafortunadamente, no o que ocorre na mdia dos presdios nacionais, e aqui, no foge regra, ao menos no que se refere populao carcerria que abarro-ta as acanhadas instalaes da casa prisional.

    Mesmo assim, o Presdio Estadual de Bento Gonalves faz o que est a seu alcance para garantir ao menos uma possibilidade de ressocializao atravs do trabalho, com parcerias entre empresas que apostam na reabilitao dos presos e na sua responsabilidade social. O trabalho possi-bilita ao condenado que ele alcance sua recuperao mais facilmente. No entanto, preciso ter em mente que so-mente o trabalho no suficiente para recuperar o preso.

    Valorizando o preso como pessoa humana, dignifican-do-o mesmo dentro da priso, o caminho para que ele se recupere de suas condutas delituosas. Apenas dessa forma a sociedade poder ver seus presos recuperados e as taxas de reincidncia reduzidas, realidade h tanto sonhada por todos.

    A Brigada no brigadeia, e a polcia no prende. No seria o caso da populao de Bento fazer como os sem-terra e os professores e acampar em frente ao Palcio do Governo, e no apenas as lideranas empresariais irem reclamar?

    Envie a sua sugesto de pergunta pelo e-mail secretaria@jornalsemanario.com.br

    A pergunta queno quer calar

    Siga-nos no Twitter:@jsemanario

    Seja amigo no Facebook:Jornal-Semanrio

    Leia tambm no nosso site: www.

    jornalsemanario.com.br

    Semanrio na Internet

    SEDEWolsir A. Antonini, 451

    Bairro Fenavinho - Caixa Postal 12695 700.000 - Bento Gonalves - RS

    ESCRITRIO CENTRALMal. Deodoro, Centro, 101Galeria Central - Sala 501

    DIRETORHENRIQUE ALFREDO CAPRARA

    GERENTEHenrique Antnio Frncio

    GESTORESFelipe DallIgna

    Mateus Mezzaroba

    EDITOR RESPONSVELHenrique Alfredo CapraraRegistro Prof. DRT 3321

    REPRTERESAnderson CarpesAugusto Veber

    Jorge Bronzato Jr.Maikeli Alves

    Marcelo MacielNoemir Leito

    Tomaz Graciliano dos Santos

    DIAGRAMADORESFabiana Bertazzo Bohrer

    Marcio KarklingPricila Piccini

    COLUNISTAS/COLABORADORESAdelgides Stefenon

    Antnio FrizzoAssunta De Pris

    Denise Da RGetulio Lucas de Abreu

    Itacyr GiacomelloLus Antnio Ferrarini

    COORDENADORAJussara Konrad

    EVENTOSRainha Indstria e Comrcio

    Mrito Grandes LderesCampees da Preferncia

    Talentos

    COORDENADORLuiz Everson Incio

    FALE COM A GENTETelefones:

    Central/Fax: 3455.4500Escritrio Centro: 3452.2186Rdio - Estdio: 3455.4530

    Rdio - Coordenao: 3455.4535Circulao: 3452.2686 / 8408.4644

    3455.4500

    E-mails:classificados@jornalsemanario.com.br

    jornal.semanario@italnet.com.brradio@radiorainha.fm.br

    Sites:www.jornalsemanario.com.br

    www.radiorainha.fm.br

    Somos filiados ADJORI / RSEste jornal no se responsabilizapor conceitos emitidos em artigosassinados e no devolve originais

    que no foram publicados.

    Representante em Porto AlegreGrupo de Dirios

    Rua Garibaldi, 659, Conjunto 102Centro - POA - Fone: (51) 3272.9595

    e-mail: fernanda@grupodediarios.com.br

    Sbado, 26 de maio de 20122 Opinio

    A Associao Brasileira de Transplantes de rgos divulgou recentemente que no primeiro

    A Associao Brasileira de Transplantes de rgos divulgou recentemente que no primeiro

    A Associao Brasileira de Transplantes de

    trimestre de 2012 houve crescimento de quase 25% no total de transplantes no pas em relao ao mesmo perodo do ano anterior. Dentre os dados publicados pela ABTO, chama a ateno o volume de procedimentos de medula ssea, cujo acrscimo foi de 30%. Foram 281 trans-plantes, mais da metade dos casos registrados em 2011. Desses, praticamente todos foram au-tlogos, ou seja, transplantes com material do prprio individuo.

    Segundo o Instituto Nacional de Sade dos Estados Unidos (NIH), h aproximadamente 600 pesquisas clnicas em andamento para ex-plorar o potencial do sangue de cordo umbili-cal, sendo em torno de 50% focadas na rea de neurologia, como paralisia cerebral, AVCs, apli-cao em bebs prematuros e doena de Alzhei-mer. Alm disso, outros importantes estudos esto em desenvolvimento com o diabetes tipo 1 e autismo. Os outros 50% so estudos para aprimorar o uso do sangue de cordo umbilical nas reas de doenas genticas ou malignas do sangue - como as leucemias e linfomas - e do-enas do sistema imunolgico, para as quais as clulas do cordo so alternativas ao transplan-te de medula ssea.

    A ampliao das aplicaes do sangue de cor-do umbilical em doenas degenerativas e inca-pacitantes j conta com a imensa mobilizao da comunidade cientifica internacional para o seu amplo desenvolvimento. Profissionais mdicos e pesquisadores esto progredindo significati-vamente e avaliando a segurana e eficcia das

    clulas-tronco dessa origem muito alm do seu uso apenas em tumores e doenas sanguneas.

    A novidade que essas pesquisas j esto em sua ltima etapa, a fase clnica, quando so apli-cadas em seres humanos e, caso sejam compro-vadas, vo gerar opes teraputicas para benefi-ciar muitos pacientes portadores dessas doenas. As clulas-tronco presentes no sangue do cordo tm-se revelado com grande potencial regenera-tivo quando comparadas a outras fontes, como as clulas do tecido adiposo e as da medula ssea. Isso se deve ao perodo em que as clulas ainda so coletadas, ainda em fase mais imatura.

    Estatsticas americanas estimam que, com os avanos na medicina regenerativa, aproximada-mente 1 em cada 3 indivduos podero se bene-ficiar desse recurso dentro das prximas dca-das com um passo frente para usufrurem das novas terapias.

    Alm da coleta do sangue de cordo umbilical ser a nica forma de armazenar as clulas-tron-co sem riscos anestsicos e cirrgicos no futuro, o material est disponvel para utilizao a qual-quer momento, ao contrrio de outras formas de obteno para uso em transplantes.

    Ainda h muito a avanar, porm a evoluo da cincia nos aponta para um caminho pro-missor e com avanos imensurveis.

    Novas terapias e evoluo nos transplantes

  • Da Redao redacao@jornalsemanario.com.brPainel

    Sbado, 26 de maio de 2012 3Opinio

    O Departamento Municipal de Trnsito (DMT) multou 40 motoristas na quarta-feira, 23, durante blitz na rua Guilherme Fasolo. Foram fiscalizados 245 veculos, sendo 150 carros, 90 motos e cinco caminhes. Alm das multas, foram realizadas duas remoes de veculos e cinco retenes.

    DMT aplica 40 multasDMT aplica 40 multasDMT aplica

    Quem deseja parar de fu-mar tem o dia 31 de maio como um incentivo