· web viewprefeitura municipal de são pedrorua valentim amaral - 748 - centro cep 13520-000 (19)...

of 40/40
Prefeitura Municipal De São Pedro Rua Valentim Amaral - 748 - Centro CEP 13520-000 (19) 3481-9200 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº. 001/2016 A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO – ESTADO DE SÃO PAULO, inscrita no CNPJ sob n°46.415.998/0001-96 dá ciência aos interessados de que se encontram abertas as inscrições para o PROCESSO SELETIVO destinado ao provimento de vagas a serem preenchidas, de acordo com o item 2 e com o surgimento das necessidades da PREFEITURA durante o prazo de validade deste – nos termos do art. 37, I e II, da Constituição Federal, Lei Orgânica do Município, suas alterações e demais legislações pertinentes, regidos pelo regime jurídico CLT. INSTRUÇÕES ESPECIAIS 1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1. O Processo Seletivo será regido por este Edital e executado pela DUX CONCURSOS - com apoio da Prefeitura do Município de São Pedro – Estado de São Paulo. 1.2. O Processo Seletivo compreenderá prova escrita de conhecimentos gerais e específicos de caráter eliminatório e classificatório e provas práticas de caráter classificatório, todas, conforme descrito no Anexo II do presente edital, todos de responsabilidade da DUX CONCURSOS; e de exames médicos, a serem realizados na iminência de contratação, de caráter eliminatório, sob responsabilidade da PREFEITURA, para todos os candidatos convocados, respeitando a ordem de classificação, para verificação da aptidão às exigências do cargo pretendido, e particularmente para os portadores de necessidades especiais, com vistas à avaliação da compatibilidade da deficiência com o exercício das atividades no cargo pretendido. 1.3. Após a homologação do resultado do processo e por ordem de classificação, a convocação será realizada através de contato telefônico e quando não encontrado o candidato, será feita a convocação pelo Imprensa Oficial do Município de São Pedro para os procedimentos necessários à nomeação, conforme o estabelecido no 1

Post on 08-Feb-2019

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

(Prefeitura Municipal De So PedroRua Valentim Amaral - 748 - Centro CEP 13520-000 (19) 3481-9200)

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO N. 001/2016

A PREFEITURA DO MUNICPIO DE SO PEDRO ESTADO DE SO PAULO, inscrita no CNPJ sob n46.415.998/0001-96 d cincia aos interessados de que se encontram abertas as inscries para o PROCESSO SELETIVO destinado ao provimento de vagas a serem preenchidas, de acordo com o item 2 e com o surgimento das necessidades da PREFEITURA durante o prazo de validade deste nos termos do art. 37, I e II, da Constituio Federal, Lei Orgnica do Municpio, suas alteraes e demais legislaes pertinentes, regidos pelo regime jurdico CLT.

INSTRUES ESPECIAIS

1. DAS DISPOSIES PRELIMINARES

1.1. O Processo Seletivo ser regido por este Edital e executado pela DUX CONCURSOS - com apoio da Prefeitura do Municpio de So Pedro Estado de So Paulo.

1.2. O Processo Seletivo compreender prova escrita de conhecimentos gerais e especficos de carter eliminatrio e classificatrio e provas prticas de carter classificatrio, todas, conforme descrito no Anexo II do presente edital, todos de responsabilidade da DUX CONCURSOS; e de exames mdicos, a serem realizados na iminncia de contratao, de carter eliminatrio, sob responsabilidade da PREFEITURA, para todos os candidatos convocados, respeitando a ordem de classificao, para verificao da aptido s exigncias do cargo pretendido, e particularmente para os portadores de necessidades especiais, com vistas avaliao da compatibilidade da deficincia com o exerccio das atividades no cargo pretendido.

1.3. Aps a homologao do resultado do processo e por ordem de classificao, a convocao ser realizada atravs de contato telefnico e quando no encontrado o candidato, ser feita a convocao pelo Imprensa Oficial do Municpio de So Pedro para os procedimentos necessrios nomeao, conforme o estabelecido no item 11 deste edital e de acordo com a necessidade e convenincia da PREFEITURA.

1.4. de responsabilidade do candidato de acompanhar todos os atos/publicaes do processo seletivo no Jornal Oficial do municpio e/ou no endereo eletrnico www.duxconcursos.com.br

2. DOS CARGOS EM CONCURSO E DOS PR-REQUISITOS

CARGOS/FUNES

CARGA HORRIA

ESCOLARIDADE

VAGAS

PROVA

SALRIOS

Agente Comunitrio de Sade

Equipe Dorothea

(Bairros Dorothea Ben Guirotti, Cidade Jardim, Nova Estncia, Mariluz I, Mariluz II, Mariluz III, Novo Horizonte, Jardim Navarro, Jardim Itlia)

40 horas semanais

Ensino Fundamental completo, residir na rea de abrangncia em que ir atuar. Lei Federal n 11.350/2006 e Lei Complementar Municipal n 94/2013.

01

Prova Escrita

R$919,31

Agente Cuidador

40 horas semanais

Ensino Fundamental Completo

02

Prova Escrita e Prova Prtica

R$880,00

Professor Estagirio

30 horas semanais

Ensino Superior Completo (Pedagogia)/ ou normal superior

02

Prova Escrita

R$880,00

Servios Gerais

40 horas semanais

Ensino Fundamental Incompleto

02

Prova Escrita e Prova Prtica

R$880,00

Tcnico em Enfermagem

40 horas semanais

Ensino Tcnico Profissionalizante Completo

01

Prova Escrita

R$1609,42

Enfermeiro

40 horas semanais

Ensino Superior Completo

01

Prova Escrita

R$2020,81

Professor II Ensino Fundamental de Lngua Portuguesa

Horista*

Graduao em Licenciatura Plena, com habilitao especfica em Lngua Portuguesa ou complementao nos termos da legislao vigente.

01

Prova Escrita

R$10,49

h/a

Professor II Ensino Fundamental de Matemtica

Horista*

Graduao em Licenciatura Plena, com habilitao especfica em Matemtica ou correspondente e complementao nos termos da legislao vigente.

01

Prova Escrita

R$10,49

h/a

Professor de Educao Artstica

Horista*

Graduao em Licenciatura Plena, com habilitao especfica em rea prpria ou formao em rea correspondente e complementao nos termos da legislao vigente.

01

Prova Escrita

R$10,49

h/a

2.1. Os tipos de provas e quantitativo de questes esto especificados no Anexo II.

2.2. O sumrio das atribuies dos cargos encontra-se no Anexo III deste Edital e apresenta resumidamente as atividades a serem desenvolvidas pelo servidor.

2.3. Os programas para as provas so os constantes do Anexo IV.

3. DAS INSCRIES

3.1. A inscrio implicar a completa cincia e tcita aceitao das normas e condies estabelecidas neste Edital, sobre as quais no se poder alegar desconhecimento, no cabendo recurso sobre eventuais erros cometidos pelo candidato no ato da inscrio.

3.2. A inscrio dever ser efetuada pela Internet, no endereo eletrnico www.duxconcursos.com.br, das 00h do dia 16 de janeiro de 2016 s 23h59min do dia 31 de janeiro de 2016.

3.3. O candidato poder se inscrever em apenas um cargo por perodo, caso efetue inscrio em mais de um cargo prevalecer inscrio mais recente; no havendo em hiptese alguma a devoluo da taxa de inscrio.

3.3.1. Caso ocorram problemas tcnicos no servidor da Internet que atende a DUX CONCURSOS, no ltimo dia das inscries, o prazo ser prorrogado at as 17 horas do dia seguinte. A DUX CONCURSOS no se responsabiliza por solicitaes de inscries no recebidas por motivo de ordem tcnica dos computadores, falhas de comunicao, congestionamento de linhas de comunicao, bem como outros fatores de ordem tcnica que impossibilitem a transferncia de dados.

3.4. Aps o preenchimento do formulrio de inscrio, o candidato dever imprimir o boleto bancrio, podendo pag-lo em qualquer agncia bancria ou casa lotrica, at a data de vencimento do boleto.

3.4.1. O valor da taxa de inscrio de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) para os cargos que exijam ensino superior, de R$ 30,00 (trinta reais) para os cargos que exijam ensino mdio e R$ 25,00 (vinte e cinco reais) para os cargos que exijam ensino fundamental, cujo pagamento dever ser efetuado at a data de vencimento do boleto, em qualquer agncia bancria, durante o horrio regular de atendimento bancrio ou casa lotrica mediante a apresentao do boleto bancrio.

3.4.2. A inscrio somente ser confirmada aps a informao, pelo banco, do pagamento da taxa de inscrio (trs dias teis).

3.5. No haver iseno total ou parcial do valor da taxa de inscrio, exceto para o candidato que, na forma do Decreto n. 6.593/2008, estiver inscrito no Cadastro nico para Programas Sociais do Governo Federal Cad.nico e for membro de famlia de baixa renda.

3.5.1. Considera-se famlia de baixa renda:

3.5.1.1. Aquela com renda familiar mensal per capita de at meio salrio mnimo; ou

3.5.2. Considera-se renda familiar mensal a soma dos rendimentos brutos auferidos por todos os membros da famlia.

3.5.3. Considera-se renda familiar per capita a razo entre a renda mensal e o total dos indivduos na famlia.

3.5.4. O candidato interessado em solicitar a iseno de pagamento de taxa dever:

3.5.4.1. Realizar a sua inscrio disponvel no site www.duxconcursos.com.br

3.5.4.2. Imprimir o boleto gerado no momento da inscrio e anexar cpia ao processo;

3.5.4.3. Juntar requerimento de iseno, contendo a indicao do Nmero de Identificao Social NIS, conforme modelo constante no Anexo VI.

3.5.4.4. Escrever de prprio punho declarao de que membro de famlia de baixa renda.

3.5.5. Os documentos citados no item anterior devero ser entregues, pessoalmente ou por terceiro, no Setor de Protocolo da Prefeitura Municipal de So Pedro, - Rua Valentim Amaral,748, Centro, nos dias teis durante o perodo de 16/01/2016 a 24/01/2016.

3.5.6. A simples entrega da documentao no garante ao interessado a iseno do pagamento da taxa de inscrio.

3.5.7. Aps a entrega da documentao, no sero aceitos acrscimos ou alteraes das informaes prestadas.

3.5.8. O candidato responsvel pela veracidade de suas informaes e pela autenticidade da documentao apresentada, respondendo civil e criminalmente pelo teor das afirmativas.

3.5.9. Os pedidos de iseno sero analisados pela DUX CONCURSOS.

3.5.10. Os pedidos de iseno deferidos e indeferidos sero divulgados no dia 25/01/2016 no site www.duxconcursos.com.br,onde constar o nmero da inscrio dos candidatos requerentes, classificados em uma lista de pedidos deferidos e outra de indeferidos.

3.5.11. O candidato cuja solicitao de iseno tiver sido indeferida poder efetivar sua inscrio no concurso, no perodo de 25/01/2016 a 31/01/016 efetuando o pagamento da taxa.

3.5.12. A partir de 05/02/2016, o candidato dever consultar, via internet, a confirmao da inscrio bem como o ensalamento, sendo obrigatria a apresentao de documento com foto no dia da prova.

3.5.13. O candidato que pagou o boleto e no constar o nome na relao de homologao das inscries, dever entrar em contato com a Banca Examinadora, solicitando reviso do processo de inscrio, encaminhando o comprovante de pagamento at o dia 10/02/2016, atravs do e-mail [email protected] .

3.6. Candidatos que necessitarem de condies especiais para realizao da prova, devero inform-las no momento da inscrio, para que a Banca Examinadora possa verificar sua pertinncia. Caso no o faam, perdero o direito de exigir tais condies.

3.6.1. A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realizao da prova dever levar um acompanhante, o qual ficar em sala reservada e ser responsvel pela guarda da criana.

3.7. vedada a inscrio condicional ou por correspondncia.

3.8. Antes de efetuar o recolhimento da taxa de inscrio, o candidato dever certificar-se de que preencheu todos os requisitos exigidos para a participao no Processo Seletivo, pois a taxa, uma vez paga, s ser restituda em caso de revogao ou anulao plena do mesmo.

4. DAS VAGAS PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADES ESPECIAIS

4.1. Ao candidato portador de necessidades especiais, amparado pelo Art. 37, inciso VIII da Constituio Federal, pela Lei Estadual no 15.139, de 31 de maio de 2006 e pelo Decreto Estadual no 2.508, de 20 de janeiro de 2004, reservado o percentual de 5% (cinco por cento) das vagas, dentro do prazo de validade do Processo Seletivo, para as funes/especialidades de vaga estabelecidas no Anexo II deste Edital, cujas atribuies sejam compatveis com a sua necessidade especial, devendo o candidato observar, no ato da inscrio, alm das condies gerais estabelecidas neste Edital, tambm s condies especiais previstas neste item, para que possa fazer uso das prerrogativas disciplinadas em lei e neste Edital.

4.2. Quando a aplicao do percentual de reserva pessoa portadora de necessidades especiais resultar em nmero fracionado, este ser elevado at o primeiro nmero inteiro subsequente, desde que no ultrapasse 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas para cada funo/especialidade da vaga e para funes/especialidades de vaga com nmero de vagas igual ou superior a 5 (cinco).

4.3. O percentual de vagas a ser reservado para as funes estabelecidas neste Edital pessoa portadora de necessidades especiais ser observado ao longo do perodo de validade do Processo Seletivo, inclusive em relao s vagas que surgirem ou que forem criadas.

4.4. considerada pessoa portadora de necessidades especiais a que se enquadram nas categorias discriminadas no Art. 34 do Decreto Estadual no 2.508/04.

4.5. O candidato portador de necessidades especiais, resguardadas as condies especiais previstas no Decreto Estadual n 2.508/2004, participar do Processo Seletivo em igualdade de condies com os demais candidatos no que se refere ao contedo, avaliao, aos critrios de aprovao, ao horrio, ao local de aplicao das provas e pontuao mnima exigida para aprovao, conforme Art. 17 da Lei Estadual no 13.456/02 e Art. 38 da Lei Estadual no 15.139/06.

4.6. O candidato que for nomeado na condio de pessoa portadora de necessidades especiais no poder arguir ou utilizar essa condio para pleitear ou justificar mudana de emprego, relotao, reopo de vaga, reduo de carga horria, alterao de jornada de trabalho, limitao de atribuies e assistncia de terceiros no ambiente do trabalho e para o desempenho das atribuies do cargo.

4.7. Na hiptese de no existir candidatos inscritos, aprovados ou habilitados para as vagas reservadas pessoa portadora de necessidades especiais, as vagas respectivas e remanescentes sero ocupadas pelos demais candidatos aprovados e habilitados na lista geral, observada a ordem geral de classificao.

4.8. Se aprovado e classificado dentro do nmero de vagas reservadas, o candidato que se declarou portador de necessidade especial dever apresentar laudo mdico que ateste a deficincia, ser verificado se h compatibilidade da deficincia com o cargo a ser assumido e ainda se a deficincia se enquadra nas categorias discriminadas no artigo 34, do Decreto Estadual n 2.508/2004.

4.9. Detectada a falsidade na declarao a que se refere o subitem 4.4 deste Edital, o candidato ser eliminado do Processo Seletivo, com anulao de todos os atos e efeitos j produzidos, se candidato, e pena de demisso se contratado, conforme previsto no Art. 5 da Lei Estadual no 14.274/03.

5. DAS ETAPAS

5.1 O Processo Seletivo, em referncia, constar das seguintes etapas:

a)1 Etapa: Prova Escrita de conhecimentos gerais e especficos, conforme programa especificado no Anexo IV - de carter eliminatrio.

b) 2 Etapa: prova prtica, somente para candidatos classificados na prova escrita de carter eliminatrio. Esta etapa s ser vlida para cargos com esta exigncia conforme item 2.

c) 3 Etapa: exame mdico - somente para os candidatos classificados e convocados para contratao - de carter eliminatrio.

6. DA 1 ETAPA Prova Escrita

6.1. A 1 etapa prova escrita ser realizada no dia 14/02/2016, com incio e trmino de acordo com o especificado no Anexo I (horrio de Braslia), no Municpio de So Pedro - SP, nos locais divulgados atravs de edital.

6.2. A prova da 1 etapa conter questes objetivas em nvel e quantidade conforme exposto no Anexo II cada uma composta de cinco assertivas, das quais apenas uma ser correta.

6.3. Da prestao da prova:

6.3.1. de responsabilidade exclusiva do candidato a identificao correta de seu local de realizao das provas e o comparecimento no horrio determinado.

6.3.2. O comparecimento ao local designado para a realizao das provas da 1 etapa prova escrita dever ocorrer:

6.3.2.1. A partir das 8 horas, sendo que s 8 horas e 45 minutos os portes sero fechados e mais nenhum candidato poder adentrar ao local das provas. As provas tero incio s 9h, com durao de 3 (trs) horas. Os horrios das provas se encontram no anexo VI.

6.3.3. Para ter acesso ao local de provas, o candidato dever obedecer rigorosamente o horrio informado no item acima e apresentar-se munido de carteira de identidade (documento original) e comprovante de inscrio (boleto devidamente quitado). Podero ser usados como documentos de identidade tambm a Carteira de Trabalho e Previdncia Social, bem como a Carteira Nacional de Habilitao (com fotografia), na forma da Lei n. 9.053/97.

6.3.4. Ser automaticamente desclassificado o candidato que deixar de assinar a Folha de Presena, o Caderno de Questes e o Gabarito Oficial e tambm no preencher o gabarito de acordo com as instrues da folha de rosto que consta no caderno de questes.

6.3.5. No ser admitido ao local de provas quem se apresentar aps o horrio estabelecido, seja qual for o motivo alegado.

6.3.6. Para a realizao das provas, o candidato dever trazer caneta esferogrfica com tinta azul ou preta, lpis e borracha. No ser permitido o uso de nenhum outro material durante a realizao da prova.

6.3.7. O candidato s poder retirar-se do local de provas, depois de transcorrida uma hora do incio das provas.

6.3.8. Durante a realizao das provas no sero permitidos sob nenhuma condio, com pena de excluso do Processo Seletivo:

a) Consultas, de nenhuma espcie;

b) Atitudes de desacato, desrespeito ou descortesia com qualquer dos coordenadores, examinadores, executores ou autoridades presentes;

c) Ausncia da sala, pelo candidato, sem a devida autorizao do fiscal de sala e acompanhamento do fiscal de corredor;

d) Uso de qualquer material eletrnico de clculo ou de comunicao.

e) Perturbao ordem dos trabalhos.

f) O candidato que aps adentrar ao recinto da prova causar tumulto de qualquer espcie, sendo imediatamente desclassificado e retirado do local.

6.3.9. O candidato assume plena e total responsabilidade pelo correto preenchimento do carto-resposta e sua integridade; no haver substituio do carto-resposta, a no ser em caso de defeito em sua impresso.

6.3.10. No haver segunda chamada para as provas. A ausncia do candidato, por qualquer motivo, inclusive doena ou atraso, implicar na sua eliminao do Processo.

6.3.11. O candidato que necessitar do caderno de questes devera solicit-lo atravs do email [email protected] , dentro do prazo previsto em edital para a devida interposio de recurso.

6.4. Bancas Especiais

6.4.1. Candidatos portadores de necessidades especiais, gestantes, lactantes, acidentados, entre outros casos que impeam a realizao da prova em condies normais, devero informar essa condio na ficha de inscrio, comprovar a necessidade via atestado mdico e entrar em contato com a Banca Examinadora para estabelecer a melhor forma de atendimento.

6.4.2. Situaes emergenciais ou acidentais devero ser comunicadas, com a maior antecedncia possvel, Banca Examinadora, visando o atendimento adequado.

6.4.3.. As Bancas Especiais somente sero disponibilizadas nos locais (edificaes) onde estiverem sendo aplicadas as provas.

6.5. Do julgamento das provas escritas e do resultado

6.5.1. Ser atribuda nota 0 (zero) questo no respondida ou respondida com emendas e/ou rasuras e/ou em duplicidade no carto-resposta.

6.5.2. Os pontos correspondentes s questes porventura anuladas sero atribudos a todos os candidatos presentes s provas, independentemente da formulao de recursos, desde que o candidato tenha atribudo alguma resposta para ela.

6.5.3. Ser considerado aprovado na 1 etapa o candidato que obtiver nota igual ou maior que 40,0 (quarenta), numa escala de 0,0 (zero) a 100,0 (cem), ficando os demais eliminados do processo.

6.5.4. O resultado da 1 etapa ser divulgado no endereo eletrnico www.duxconcursoscom.br, no dia 23/02//2016.

7. Da 2 ETAPA Prova Pratica

7.1. A segunda etapa ser realizada conforme o Anexo I.

7.2. Somente participaro desta etapa candidatos classificados na prova escrita e forem convocados de carter eliminatrio.

8. Da 3 ETAPA Do Exame Mdico

8.1. EXAMES PR-ADMISSIONAIS

8.1.2. Os candidatos convocados para os exames pr admissionais, devero comparecer no dia, horrio e endereos estabelecidos pela PREFEITURA munidos do documento de identidade original e dos exames de sade a seguir especificados.

8.1.3. O candidato passar por exames pr-adicionais realizados pelo mdico do trabalho da Prefeitura de So Pedro.

8.1.4. O candidato ser considerado apto ou inapto ao exerccio do cargo no exame pr-admissional.

8.1.5. A deciso da Junta Mdica ser terminativa.

8.2. EXAMES ADMISSIONAIS

8.2.1. O Exame mdico possui carter eliminatrio e por ele devero passar os candidatos melhor classificados no concurso, somente quando forem convocados para possvel contratao e depois de comprovarem os requisitos estabelecidos nos subitens do item 9.1 e 13 deste Edital.

8.2.2. Os candidatos melhor classificados sero nomeados, conforme nmero de vagas constantes no edital - se aps exame mdico forem considerados aptos para exercer as atividades que o cargo pleiteado requer.

9. DA CLASSIFICAO.

9.1. A publicao do resultado final do Processo Seletivo ser divulgada no dia 29 de fevereiro de 2016 dos cargos que no necessitam de prova prtica e no dia 09 de maro de 2016 para os cargos que necessitam de prova prtica no site www.duxconcursos.com.br .

9.2. Os candidatos aprovados sero classificados por ordem decrescente do valor da nota final.

9.3. Ainda que aprovado e classificado, o candidato que no preencher os pr-requisitos solicitados, a serem comprovados atravs da apresentao dos documentos especificados na etapa da habilitao e contratao, o fizer constar em sua ficha de inscrio dados falsos ou inexatos, comprovados posteriormente, bem como se constatadas irregularidades em documentos, ter todos os atos decorrentes de sua participao no processo seletivo declarados nulos.

9.4. A nota dos candidatos habilitados no Processo Seletivo ser composta da seguinte forma:

a) Para cargos cujas provas no possuam Questes de Conhecimento Especfico:

Nota Final = CG * 2,5

b) Para cargos cujas provas possuam Questes de Conhecimentos Especficos e de Conhecimentos Gerais:

Nota Final = CG * 2,5+CE * 2,5

c) Para cargos cujas provas possuam Questes de Conhecimentos Especficos e de Prova Pratica:

Nota Final = ((CG * 2,5 + CE * 2,5) + PP) /2

Onde:

CG - Questes de Conhecimentos Gerais

CE - Questes de Conhecimentos Especficos

PP Prova Pratica

10. DOS CRITRIOS DE DESEMPATE

10.1. Na hiptese de igualdade na classificao, ter preferncia, sucessivamente, o candidato que:

a) Maior de 60 (sessenta) anos, segundo o Estatuto do Idoso;

b) Obtiver o maior nmero de acertos na prova de Conhecimentos Especficos (se houver);

c) Obtiver o maior nmero de acertos na prova de Lngua Portuguesa;

d) Obtiver o maior nmero de acertos na prova de Matemtica (se houver);

e) Obtiver o maior nmero de acertos na prova de Informtica (se houver);

f) Obtiver o maior nmero de acertos na prova de Atualidades;

g) Maior idade (ano, ms, dia);

h) Persistindo o empate, o critrio a ser utilizado ser o de sorteio.

11. DOS RECURSOS

11.1. facultada a interposio de recursos referentes aos resultados da 1 etapa, atravs de documento dirigido Presidente da Banca Examinadora, entregue no Setor de Protocolo da Prefeitura Municipal de So Pedro. No sero aceitos recursos por fac-smile, telegrama, internet ou por outro meio do gnero.

11.2 A Banca Examinadora ser formada por 03 servidores, a serem designados por meio de Portaria pela DUX CONCURSOS, para coordenao e realizao do Processo Seletivo e por Comisso nomeada atravs de ato oficial pela Prefeitura Municipal de So Pedro, para acompanhamento e fiscalizao.

11.3. No documento do recurso dever constar o nome do candidato, nmero de inscrio, nmero do documento de identidade, cargo pretendido e endereo para correspondncia.

11.4 Negar-se- provimento ao recurso que no se apresentar em termos convenientes e devidamente fundamentado quanto aos pontos recorridos, ou interposto fora do prazo estipulado.

11.5. A Banca Examinadora s poder propor alterao da nota, anteriormente atribuda, se ficar evidenciada que houve erro na correo ou na aplicao do critrio de julgamento da prova, mediante parecer fundamentado.

11.6. Os resultados dos julgamentos dos recursos interpostos sero divulgados atravs de publicao nos editais oficiais da PREFEITURA e no site www.duxconcursos.com.br.

11.7. Somente ser admitido um nico recurso por candidato.

11.8. O recurso interposto por procurador s ser aceito se estiver acompanhado do respectivo instrumento de mandato, com firma reconhecida e cpia reprogrfica do documento de identidade do procurador.

12. DAS CONDIES PARA ADMISSO

12.1. A admisso do candidato no cargo est condicionada ao atendimento dos seguintes requisitos:

a) Ser brasileiro nato ou naturalizado, ou cidado portugus que tenha adquirido a igualdade de direitos e obrigaes civis e gozo dos direitos polticos (Constituio Federal, 1.o do Art.12 e Decreto n. 70.436 de 18/04/72);

b) Encontrar-se no pleno exerccio dos direitos civis e polticos e quite com a justia eleitoral;

c) Atender aos requisitos de escolaridade exigidos para o cargo, como expresso no Item 2 deste Edital;

d) Apresentar os documentos comprobatrios dos pr-requisitos exigidos quanto escolaridade e habilitao, conforme exposto no Item 2 e conforme declarado na ficha de inscrio.

e) Ter idade mnima de 18 anos comprovada at a data da admisso;

f) Comprovar, habilitao para o cargo;

g) Apresentar Cdula de Identidade, Cadastro de Pessoa Fsica - CPF regularizado e Ttulo Eleitoral; os candidatos do sexo masculino devero apresentar Certificado de Reservista ou de Dispensa de Incorporao;

h) No ter sofrido, no exerccio de funo pblica, penalidade por prtica de atos desabonadores bem como, improbidade administrativa;

i) No registrar antecedentes criminais, com sentena penal condenatria transitada em julgado, que impea legalmente o exerccio de funo pblica;

j) Gozar de boa sade fsica e mental;

k) Estar disponvel para trabalhar de acordo com a jornada semanal especificada no Item 2 deste edital.

l) No estar em idade de aposentadoria compulsria.

12.2. Os documentos comprobatrios para os cargos que exigem escolaridade completa diplomas registrados ou certificados acompanhados de histrico escolar devem referir-se a cursos devidamente reconhecidos pelo Ministrio da Educao e Cultura (MEC), Conselho Nacional de Educao (CNE) ou Conselho Estadual de Educao (CEE).

12.3. Sero aceitos tambm declaraes ou atestados de concluso de curso em que constem as disciplinas cursadas, frequncia, avaliao e carga horria, emitidas em papel com timbre e carimbo do estabelecimento de ensino e devidamente assinados pela autoridade competente, e acompanhados do Histrico Escolar.

12.4. Os documentos devem ser apresentados pelo candidato no prazo de 5 (cinco) dias teis, a contar da data da convocao da PREFEITURA.

12.5. Os diplomas e certificados, obtidos no exterior, para que tenham validade, devero estar revalidados de acordo com a legislao vigente.

12.6. No ato da convocao, e antes da realizao do Exame Mdico, devem ser comprovados os requisitos expressos no subitem 13.1 e apresentados obrigatoriamente os documentos exigidos para investidura no cargo, se o candidato comparecer, mas no comprovar os requisitos para o cargo, ser desclassificado, sendo por consequncia convocado o candidato imediatamente posterior na classificao final.

13. DO APROVEITAMENTO DOS CANDIDATOS HABILITADOS

13.1 Os candidatos sero aproveitados de acordo com a classificao final do processo, ressalvado o atendimento legal de 5% para portadores de necessidades especiais, dentre os quais devero ser chamados aqueles com melhor colocao no quadro de classificao at o limite do percentual estabelecido neste Edital.

13.2. Os candidatos sero nomeados e tomaro posse nos termos da legislao Municipal de So Pedro Estado de So Paulo e demais cominaes pertinentes.

13.3. Se, durante o prazo de validade do processo, surgirem novas vagas para os cargos expressos no Item 2 deste Edital, os candidatos habilitados e ainda no aproveitados sero convocados pela ordem de classificao final para os procedimentos expressos nos subitens do item 9 e do item 15 e provimento das novas vagas.

13.4. O candidato classificado receber convocao pelo rgo de Imprensa Oficial do municpio de So Pedro. O candidato ter 5 (cinco) dias teis para comparecer PREFEITURA. Expirado o prazo, o candidato ser desclassificado do concurso.

13.5 O candidato que informar no momento da inscrio sua condio de aposentado, se classificado, ser convocado pela PREFEITURA para, no prazo de 5 (cinco) dias, apresentar a documentao relativa ao seu processo de aposentadoria. Nesses casos, a nomeao estar condicionada anlise da possibilidade legal conforme os Princpios Constitucionais e a Legislao Previdenciria aplicveis ao caso.

14. DO PRAZO DE VALIDADE DO PROCESSO SELETIVO

14.1 O Processo Seletivo ter validade de 01 (um) ano, a contar da publicao da homologao, prorrogvel uma nica vez, por igual perodo, conforme interesse e convenincia da PREFEITURA, ou antes, desse prazo, se todos os candidatos classificados tiverem sido aproveitados.

15. DISPOSIES FINAIS

15.1. direito da PREFEITURA, a qualquer tempo:

a) Eliminar do processo ou do cadastro o candidato que no atenda aos requisitos do cargo e/ou s exigncias legais para contratao ou s condies estabelecidas neste Edital;

b) Anular a inscrio, a prova ou a admisso do candidato quando verificadas falsidades de declarao ou irregularidades nas provas ou documentos, sem prejuzo das sanes criminais cabveis;

c) Cancelar o processo, mesmo com datas pr-fixadas e j divulgadas, em caso de determinaes legais, convenincia tcnica administrativa ou motivo de fora maior (calamidades pblicas, etc.).

15.2. A inscrio do candidato implicar o conhecimento das presentes instrues e a aceitao tcita das condies do Processo Seletivo, tais como se acham estabelecidas neste Edital e nas normas legais pertinentes, das quais no poder alegar desconhecimento.

15.3. O candidato dever manter atualizado seu endereo junto a Prefeitura Municipal de So Pedro, enquanto perdurar a validade do Processo Seletivo.

15.4. Os itens deste Edital podero sofrer eventuais alteraes, atualizaes ou acrscimos, enquanto no consumadas as providncias ou eventos que lhes disserem respeito, ou at a data da convocao dos candidatos para a prova correspondente, circunstncia que ser mencionada em edital ou aviso publicado.

15.5. de inteira responsabilidade de o candidato acompanhar os Editais, comunicados e demais publicaes referentes a este Processo Seletivo.

1.6 A Prefeitura Municipal de So Pedro nomear, atravs de ato oficial, uma Comisso de acompanhamento e fiscalizao do presente Processo Seletivo.

15.7 Os questionamentos relativos a casos omissos no presente Edital e na Legislao Municipal devero ser protocolados na sede da Prefeitura Municipal de So Pedro e sero resolvidos pela Banca Examinadora do Processo Seletivo nomeada pela DUX CONCURSOS, no prazo mximo de 2 (dois) dias teis.

So Pedro,16 janeiro de 2016.

______________________________

Hlio Donizete Zanatta

Prefeito Municipal de So Pedro

ANEXO I Calendrio do Concurso

EVENTO

DATA

Publicao do Edital

16/01/2016

Perodo de Inscries

16/01/2016 a 31/01/2016

Homologao dos inscritos

05/02/2016

Verificao das inscries e identificao do local de provas

05/02/2016

Prova Objetiva

14/02/2016

Disponibilizao do Gabarito

15/02/2016

Recebimento de recurso / Gabarito

16/02/2016 e 17/02/2016

Resultado Prova Objetiva

23/02/2016

Recebimento de recurso / Resultado

24/02/2016 e 25/02/2016

Resultado Final para os cargos que no necessitam Prova Prtica

29/02/2016

Homologao para os cargos que no necessitam Prova Prtica

03/03/2016

Prova Prtica

06/03/2016

Resultado Final

09/03/2016

Homologao

11/03/2016

ANEXO II Horrio de provas, cargos, tipos de prova e questes:

17/05/2014

Durao de 3 horas

Conhecimentos Gerais

Conhecimentos

Especficos

Total

Questes

Objetivas

Prova

Prtica

Lngua

Portuguesa

Matemtica

Atualidades

Informtica

Agente Comunitrio de Sade

15

15

10

-

-

40

No

Agente Cuidador

15

15

10

-

-

40

Professor Estagirio

10

5

10

5

10

40

Servios

Gerais

15

15

10

-

-

40

Sim

Tcnico em Enfermagem

10

5

10

5

10

40

No

Enfermeiro

10

5

10

5

10

40

No

Professor II Ensino Fundamental de Lngua Portuguesa

10

5

10

5

10

40

No

Professor II Ensino Fundamental de Matemtica

10

5

10

5

10

40

No

Professor II Ensino Fundamental de Educao Artsticas

10

5

10

5

10

40

No

(Se)ANEXO III Sumrio de Atribuies

CARGO AGENTE COMUNITRIO DE SADE

Realizar trabalhos nos domiclios de sua rea de abrangncias, tendo as seguintes atribuies especficas: realizar mapeamento de sua rea; cadastrar as famlias e atualizar permanentemente esse cadastro; identificar indivduos e famlias expostos a situaes de risco; identificar rea de risco; orientar as famlias para utilizao adequada dos servios de sade, encaminhando-as e at agendando consultas, exames e atendimento odontolgico, quando necessrio; realizar aes e atividades, no nvel de suas competncias, nas reas prioritrias da Ateno Bsicas; realizar, por meio da visita domiciliar, acompanhamento mensal de todas as famlias sob sua responsabilidade; estar sempre bem informado, e informar aos demais membros da equipe, sobre a situao das famlias acompanhadas, particularmente aquelas em situaes de risco; desenvolver aes de educao e vigilncia sade, com nfase na promoo da sade e na preveno de doenas; promover a educao e a mobilizao comunitria, visando desenvolver aes coletivas de saneamento e melhoria do meio ambiente, entre outras; traduzir para a USF a dinmica social da comunidade, suas necessidades, potencialidades e limites; identificar parceiros e recursos existentes na comunidade que possam ser potencializados pela equipe; executar outras tarefas correlatas determinadas pelo superior imediato. Desempenha atividades de preveno de doena e promoo da sade, mediante aes domiciliares ou comunitrias, individuais ou coletivas, em conformidade com as diretrizes do SUS e da Secretaria Municipal de Sade.

CARGO AGENTE CUIDADOR

Prestar apoio emocional e na convivncia social de pessoas; auxiliar e acompanhar na realizao de rotinas de higiene pessoal e ambiental e de nutrio de pessoas; promover cuidados de sade preventivos, administrao de medicamentos e outros procedimentos de sade; auxiliar e acompanhar na mobilidade de pessoas em atividades de educao, cultura, recreao e lazer; acompanhar alunos em todas as dependncias do estabelecimento de ensino e no transporte escolar; acompanhar crianas em estabelecimento social, a fim de garantir a disciplina e segurana dos mesmos; executar outras tarefas correlatas determinadas pelo superior imediato.

CARGO PROFESSOR ESTAGIRIO/PRFESSOR DE PORTUGUES ;PROFESSOR DE MATEMTICA E PROFESSOR DE EDUCAO ARTISTICA

Compete ao professor estagirio, participar do processo de elaborao do Plano de Gesto da Escola e de seus anexos, planejar, executar, avaliar e registrar as atividades do processo ensino-aprendizagem de suas classes, a partir da programao curricular da Secretria de Educao; definir prioridades, objetivos e metas; selecionar contedos.

CARGO SERVIOS GERAIS

Auxilia nos servios de armazenamento de materiais leves e pesados, tais como, cal, cimento, areia, tijolos e outros, acondicionando-os em prateleiras ou ptios dos almoxarifados, para assegurar o estoque dos mesmos; Auxilia nos servios da jardinagem, aparando gramas, preparando a terra, plantando sementes e mudas, podando rvores; visando conservar, cultivar e embelezar canteiros em geral; Efetua limpeza e conservao de reas verdes, praas terrenos baldios, ruas e outros logradouros pblicos, carpindo limpando, lavando, varrendo, transportando entulhos, visando melhorar o aspecto do municpio; efetua limpeza e conservao nos cemitrios e nos jazigos, bem como auxilia na preparao de sepulturas, abrindo e fechando covas, para permitir o sepultamento dos cadveres; Auxilia o motorista nas atividades de carregamento, descarregamento e entrega de materiais e mercadorias, valendo-se de esforo fsico e/ou outros recursos, visando contribuir para a execuo dos trabalhos; Auxilia na preparao de rua para a execuo de servios de pavimentao, compactando o solo, esparramando terra, pedra para manter a conservao dos trechos desgastados ou na abertura de novas vias; Auxilia nas instalaes e manutenes eltricas, fornecendo materiais necessrios e utilizando ferramentas manuais para estruturar a parte geral das instalaes,; Apreende animais soltos em vias, tais como cavalos, vacas, cachorros, cabritos, etc, laando-os e conduzindo-os ao local apropriado, para evitar acidentes e garantir a sade da populao; Auxilia no assentamento de tubos de concreto, transportando-os e/ou segurando-os para garantir a correta instalao; Zela pela conservao das ferramentas, utenslios e equipamentos de trabalho, recolhendo-os e armazenando-os nos locais adequados; Executa outras tarefas correlatas determinadas pelo superior imediato.

CARGO TCNICO EM INFERMAGEM

Executar servios gerais de enfermagem como aplicar injees e vacinas, ministrar remdios, registrar temperaturas, medir presso arterial, fazer curativos e coletar material para exame laboratrio; Preparar e esterilizar os instrumentos de trabalho utilizados na enfermaria e nos gabinetes mdicos, acondicionando-os em lugar adequado, para assegurar sua utilizao; preparar os pacientes para consultar e exames, acomodando-os adequadamente, para facilitar sua realizao; orientar o paciente sobre a medicao e sequncia do tratamento prescrito, instruindo sobre o uso de medicamentos e material adequado ao tipo de tratamento, para reduzir a incidncia de acidentes; efetuar a coleta de material para exames de laboratrio e a instrumentao em intervenes cirrgicas, atuando sob superviso do enfermeiro ou mdico, para facilitar o desenvolvimento das tarefas de cada membro da equipe; executar outras tarefas correlatas determinadas pelo superior imediato.

CARGO ENFERMEIRO

Executar diversas tarefas de enfermagem, tais como: administrao de sangue e plasma, controle de presso arterial, aplicao de respiradores artificiais e outros tratamentos, pondo em prtica seus conhecimentos tcnicos, para proporcionar o bem estar fsico, mental e social aos pacientes; prestar primeiros socorros no local de trabalho, em caso de acidentes ou doena, fazendo curativos ou imobilizaes especiais, administrando medicamentos, para posterior atendimento mdico; manter os equipamentos e aparelhos em condies de uso imediato, verificando periodicamente seu funcionamento e providenciando sua substituio ou conserto, para assegurar o desempenho adequado dos trabalhos de enfermagem; supervisionar e manter salas, consultrios e demais dependncias em condies de uso, assegurando sempre a sua higienizao e limpeza dentro dos padres de segurana exigidos; desenvolver o programa com adolescentes, trabalho de integrao familiar, educao sexual, preveno de drogas e outras; efetuar e registrar todos os atendimentos, tratamentos executados e ocorrncias verificadas em relao ao paciente, anotando em pronturios, ficha de ambulatrio, relatrio de enfermagem da unidade, para documentar a evoluo da doena e possibilitar o controle de sade; executar outras tarefas correlatas determinadas pelo superior imediato.

ANEXO IV Programa para Provas

SERVIOS GERAIS, CUIDADOR DE IDOSOS E AGENTE COMUNITRIO

LINGUA PORTUGUESA - Compreenso de texto. Palavras sinnimas e antnimas. Masculino e feminino. Singular e plural dos nomes. Diviso silbica.

Ortografia e acentuao grfica e pontuao. Alfabeto e vogais, Pontuao, Pronome de Tratamento.

MATEMATICA - Operaes fundamentais: Problemas com Adio, Multiplicao, Subtrao e Diviso; Sistema mtrico decimal; Medidas de massa, medidas de comprimento e medidas de tempo; O Conjunto dos Nmeros Naturais; Potenciao, Regras e Propriedades; Fraes e Nmeros Racionais; Porcentagem.

ATUALIDADES - Questes sobre o Brasil e o Mundo; poltica; esporte; cultura

PROFESSOR DE ESTAGIARIO

LINGUA PORTUGUESA - Interpretao e compreenso de textos; ortografia; acentuao; concordncia nominal e verbal; classe de palavras; emprego de pronomes; conhecimentos bsicos da comunicao escrita/produo de textos (coeso, coerncia, informatividade); adequao das variaes lingusticas s diferentes situaes comunicativas; sentido literal e sentido figurado; classes morfolgicas; regncia verbal e nominal; crase; emprego das conjunes; conhecimento gramatical de acordo com o padro culto da lngua; teoria geral da frase e sua anlise: oraes, perodos e funes sintticas.

MATEMATICA - Conjunto dos nmeros naturais: a numerao decimal; mltiplos e divisores de um nmero natural: divisibilidade; mximo divisor comum; mnimo mltiplo comum; nmeros fracionrios; Sistema Mtrico Decimal: permetro de figuras planas; reas de figuras planas (tringulos, quadrilteros, crculos e polgonos regulares); conjunto dos nmeros inteiros relativos; conjunto dos nmeros racionais: resoluo de equaes do 1 grau; razo e proporo; propriedades das propores; diviso proporcional; mdia aritmtica simples e ponderada; regra de trs simples e composta; porcentagem, juros simples e montante; conjunto dos nmeros reais: operaes com polinmios; produtos notveis; fatorao; operaes e resolues de problemas envolvendo os itens do programa.

ATUALIDADES - Elementos de poltica brasileira e mundial; cultura e sociedade brasileira; meio ambiente e cidadania: problemas, polticos pblicos, aspectos locais e aspectos globais; questes da economia nacional e mundial do cotidiano brasileiro; tica profissional; sade e qualidade de vida.

INFORMTICA - Fundamentos de computao e microinformtica. Conceitos de sistemas operacionais. Conceitos bsicos de redes e Internet/Intranet. Conceitos e princpios de proteo e segurana. Operao e utilizao bsica de microcomputador.

CONHECIMENTOS ESPECIFICOS Psicologia do Desenvolvimento. Desenvolvimento e Aprendizagem. Educao e Novas Tecnologias. Planejamento e Proposta Pedaggica. Didtica. Mtodos de Ensino. Pedagogia de Projetos. Relao escola/comunidade. Integrao/Incluso. Relaes sociais da escola. Teorias da aprendizagem. A prtica educativa. A funo social do Ensino e a concepo sobre processos de Aprendizagem. As relaes interativas na sala de aula. A avaliao. O papel do professor. Referncias essenciais convivncia democrtica na escola. Temas transversais. Interdisciplinaridade. Currculo e Desenvolvimento Humano. Educados e Educadores: Seus Direitos e o Currculo. Currculo, Conhecimento e Cultura. Diversidade e Currculo. Currculo e Avaliao. Gesto Democrtica. Orientao Sexual na Escola. Ensino e Aprendizagem na perspectiva da pluralidade cultural. Educao Ambiental. Conceitos e Princpios da Educao Inclusiva. Fundamentos scio-histricos e Polticos da Educao. LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional 9.394/20/12/1996, PNE Plano Nacional de Educao 10.172 de 2001, Constituio Federal Da Educao, Captulo III, Seo I, ECA Estatuto da Criana e do Adolescente 8.069 de 1990, MEC Braslia. Parmetros Curriculares Nacionais, Vol. 1 e Vol. 10 (10.1,10.2,10.3,10.4,10.5).

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: 1. COLOMER, Tereza; CAMPOS, Anna. Ensinar a ler. Ensinar a compreender, So Paulo: Artmed, 2002/ 2. DOLZ, Joaquim; SCHNEUWLY, Bernard. Gneros e progresso em expresso oral e escrita: elementos para reflexes sobre uma experincia sua (francfona). In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004./ 3. FERREIRO, Emlia. Reflexes sobre alfabetizao. 25 ed. So Paulo: Cortez, 2010./ 4. FIORIN, Jos Luiz de. Introduo ao pensamento de Bakhtin. Locus: revista de histria, Juiz de Fora, v.13, n.1, p.210-215,2007./ 5. GERALDI, Joo Wanderley. Linguagem e ensino: exerccios de militncia e divulgao. Campinas Mercado de letras, 1996./ 6. LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possvel e o necessrio. Porto Alegre: Artmed, 2002./ 7. LERNER, Delia; SADOVSKY, Patrcia. O sistema de numerao: um problema didtico. In: PARRA, Ceclia (org.). Didtica da matemtica: reflexes psicopedaggicas. Porto Alegre; Artes mdicas, 1996.p.73-155./ 8. PIRES, Clia Maria Carolino. Educao Matemtica: conversas com professores dos anos iniciais. So Paulo: Z-Zapt editora, 2012./ 9. SCHNEUWLY, Bernard. Palavra e Ficcionalizao: um cominho para o ensino da linguagem oral. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004./ 10. SOL, Isabel. Estratgia de leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998./ 11. TEBEROSSKY, Ana; COLOMER, Tereza. Aprender a ler a escrever: uma proposta construtiva. Porto Alegre: Artmed, 2002./ 12. VYGOTSKY, Lev Semenovitch. Formao social da mente. So Paulo: Martins fontes, 2007./ 13. WEISZ, Telma. O dilogo entre o ensino e a aprendizagem. So Paulo: tica, 2002.

PROFESSOR MATEMTICA-

LINGUA PORTUGUESA - Interpretao e compreenso de textos; ortografia; acentuao; concordncia nominal e verbal; classe de palavras; emprego de pronomes; conhecimentos bsicos da comunicao escrita/produo de textos (coeso, coerncia, informatividade); adequao das variaes lingusticas s diferentes situaes comunicativas; sentido literal e sentido figurado; classes morfolgicas; regncia verbal e nominal; crase; emprego das conjunes; conhecimento gramatical de acordo com o padro culto da lngua; teoria geral da frase e sua anlise: oraes, perodos e funes sintticas.

MATEMATICA - Conjunto dos nmeros naturais: a numerao decimal; mltiplos e divisores de um nmero natural: divisibilidade; mximo divisor comum; mnimo mltiplo comum; nmeros fracionrios; Sistema Mtrico Decimal: permetro de figuras planas; reas de figuras planas (tringulos, quadrilteros, crculos e polgonos regulares); conjunto dos nmeros inteiros relativos; conjunto dos nmeros racionais: resoluo de equaes do 1 grau; razo e proporo; propriedades das propores; diviso proporcional; mdia aritmtica simples e ponderada; regra de trs simples e composta; porcentagem, juros simples e montante; conjunto dos nmeros reais: operaes com polinmios; produtos notveis; fatorao; operaes e resolues de problemas envolvendo os itens do programa; raciocnio lgico.

ATUALIDADES - Elementos de poltica brasileira e mundial; cultura e sociedade brasileira; meio ambiente e cidadania: problemas, polticos pblicos, aspectos locais e aspectos globais; questes da economia nacional e mundial do cotidiano brasileiro; tica profissional; sade e qualidade de vida.

INFORMTICA - Fundamentos de computao e microinformtica. Conceitos de sistemas operacionais. Conceitos bsicos de redes e Internet/Intranet. Conceitos e princpios de proteo e segurana. Operao e utilizao bsica de microcomputador.

CONHECIMENTOS ESPECIFICOS- Sistema de numerao decimal, nmeros naturais, divisibilidade, clculo literal, proporo, regra de trs, estatstica, teoremas principais, progresso aritmtica e geomtrica, matemtica financeira, juros, funo exponencial, relao entre grandezas, tabelas e grficos, sistema de medidas, noes de geometria e raciocnio lgico para a resoluo de problemas. Psicologia do Desenvolvimento. Desenvolvimento e Aprendizagem. Educao e Novas Tecnologias. Planejamento e Proposta Pedaggica. Didtica. Mtodos de Ensino. Pedagogia de Projetos. Relao escola/comunidade. Integrao/Incluso. Relaes sociais da escola. Teorias da aprendizagem. A prtica educativa. A funo social do Ensino e a concepo sobre processos de Aprendizagem. As relaes interativas na sala de aula. A avaliao. O papel do professor. Referncias essenciais convivncia democrtica na escola. Temas transversais. Interdisciplinaridade. Currculo e Desenvolvimento Humano. Educados e Educadores: Seus Direitos e o Currculo. Currculo, Conhecimento e Cultura. Diversidade e Currculo. Currculo e Avaliao. Gesto Democrtica. Orientao Sexual na Escola. Ensino e Aprendizagem na perspectiva da pluralidade cultural. Educao Ambiental. Conceitos e Princpios da Educao Inclusiva. Fundamentos scio-histricos e Polticos da Educao.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: 1. BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (Org.). Educao Matemtica. 2. ed., So Paulo: Centauro, 2005. 2. BOYER, Carl B. Histria da matemtica. 3. ed., So Paulo: Edgard Blucher, 2010. 3. DAMBRSIO, Ubiratan. Educao Matemtica: da teoria prtica. 13. ed., Campinas, SP: Papirus, 2006. 4. DEVLIN, Keith. O gene da matemtica: o talento para lidar com nmeros e a evoluo do pensamento matemtico. Rio de Janeiro: Record, 2004. 5. FIORENTINI, Dario; Lorenzato, Sergio. Investigao em educao matemtica: percursos tericos e metodolgicos. Campinas: Autores associados, 3. ed., 2009. 6. LIMA, Elon Lages et al. A matemtica do Ensino Mdio. Rio de Janeiro: SBM, 1999. v. 1, 2 e 3 (Coleo do Professor de Matemtica). 7. MACHADO, Nilson Jos. Matemtica e lngua materna: anlise de uma impregnao mtua. 6. ed. So Paulo: Cortez, 2011. 8. PARRA, Ceclia; SAIZ, Irma (Org.). Didtica da Matemtica: reflexes psicopedaggicas. Traduo de Juan Acun Llorens. Porto Alegre: Artes Mdicas, 1996. 9. PIRES, Clia Maria Carolino. Currculos de Matemtica: da organizao linear ideia de rede. So Paulo: FTD, 2000.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: - 1. COLOMER, Tereza; CAMPOS, Anna. Ensinar a ler. Ensinar a compreender, So Paulo: Artmed, 2002/ 2. FREURI, Reinaldo Matias. Educao intercultural: mediaes necessrias. RJ; ed. DPA, 2003/ 3. FERREIRO, Emlia. Reflexes sobre alfabetizao. 25 ed. So Paulo: Cortez, 2010./ 4.MORIN, Edgar. Os sete saberes necessrios educao do futuro. UNESCO/Cortez Editora, cap. III e IV, p. 47-78, e cp. VI, 93-104, 2000./ 5. GERALDI, Joo Wanderley. Linguagem e ensino: exerccios de militncia e divulgao. Campinas Mercado de letras, 1996./ 6. LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possvel e o necessrio. Porto Alegre: Artmed, 2002./7.ABRAMOVAY, Mirian; CASTRO, Mary Garcia; SILVA, Lorena Bernadete. Juventude e sexualidade. Braslia: UNESCO Brasil, 2004./ 8.ZABALA, Antoni; ARNAU, Laia. Como aprender e ensinar competncias. P.Alegre: Artmed,2010./ 9. SCHNEUWLY, Bernard. Palavra e Ficcionalizao: um cominho para o ensino da linguagem oral. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004./ 10. SOL, Isabel. Estratgia de leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998./ 11. TEBEROSSKY, Ana; COLOMER, Tereza. Aprender a ler a escrever: uma proposta construtiva. Porto Alegre: Artmed, 2002./ 12. VYGOTSKY, Lev Semenovitch. Formao social da mente. So Paulo: Martins fontes, 2007./ 13. WEISZ, Telma. O dilogo entre o ensino e a aprendizagem. So Paulo: tica, 2002. LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional 9.394/20/12/1996, PNE Plano Nacional de Educao 10.172 de 2001, Constituio Federal Da Educao, Captulo III, Seo I, ECA Estatuto da Criana e do Adolescente 8.069 de 1990, MEC Braslia. Parmetros Curriculares Nacionais, Vol. 1 e Vol. 10 (10.1,10.2,10.3,10.4,10.5).

PROFESSOR DE EDUCAO ARTISTICA-

LINGUA PORTUGUESA - Interpretao e compreenso de textos; ortografia; acentuao; concordncia nominal e verbal; classe de palavras; emprego de pronomes; conhecimentos bsicos da comunicao escrita/produo de textos (coeso, coerncia, informatividade); adequao das variaes lingusticas s diferentes situaes comunicativas; sentido literal e sentido figurado; classes morfolgicas; regncia verbal e nominal; crase; emprego das conjunes; conhecimento gramatical de acordo com o padro culto da lngua; teoria geral da frase e sua anlise: oraes, perodos e funes sintticas.

MATEMATICA - Conjunto dos nmeros naturais: a numerao decimal; mltiplos e divisores de um nmero natural: divisibilidade; mximo divisor comum; mnimo mltiplo comum; nmeros fracionrios; Sistema Mtrico Decimal: permetro de figuras planas; reas de figuras planas (tringulos, quadrilteros, crculos e polgonos regulares); conjunto dos nmeros inteiros relativos; conjunto dos nmeros racionais: resoluo de equaes do 1 grau; razo e proporo; propriedades das propores; diviso proporcional; mdia aritmtica simples e ponderada; regra de trs simples e composta; porcentagem, juros simples e montante; conjunto dos nmeros reais: operaes com polinmios; produtos notveis; fatorao; operaes e resolues de problemas envolvendo os itens do programa; raciocnio lgico.

ATUALIDADES - Elementos de poltica brasileira e mundial; cultura e sociedade brasileira; meio ambiente e cidadania: problemas, polticos pblicos, aspectos locais e aspectos globais; questes da economia nacional e mundial do cotidiano brasileiro; tica profissional; sade e qualidade de vida.

INFORMTICA - Fundamentos de computao e microinformtica. Conceitos de sistemas operacionais. Conceitos bsicos de redes e Internet/Intranet. Conceitos e princpios de proteo e segurana. Operao e utilizao bsica de microcomputador.

CONHECIMENTOS ESPECFICOS- A histria da arte geral, a histria da arte no Brasil, educao musical na escola, o teatro, o jogo dramtico teatral, harmonia das cores, geometria, projees geomtricas, elementos bsicos das composies artsticas, o ensino da educao artstica, metodologia do ensino da arte, o desenvolvimento expressivo e suas relaes com o desenvolvimento biolgico, afetivo, cognitivo e scio cultural do ser humano. Psicologia do Desenvolvimento. Desenvolvimento e Aprendizagem. Educao e Novas Tecnologias. Planejamento e Proposta Pedaggica. Didtica. Mtodos de Ensino. Pedagogia de Projetos. Relao escola/comunidade. Integrao/Incluso. Relaes sociais da escola. Teorias da aprendizagem. A prtica educativa. A funo social do Ensino e a concepo sobre processos de Aprendizagem. As relaes interativas na sala de aula. A avaliao. O papel do professor. Referncias essenciais convivncia democrtica na escola. Temas transversais. Interdisciplinaridade. Currculo e Desenvolvimento Humano. Educados e Educadores: Seus Direitos e o Currculo. Currculo, Conhecimento e Cultura. Diversidade e Currculo. Currculo e Avaliao. Gesto Democrtica. Orientao Sexual na Escola. Ensino e Aprendizagem na perspectiva da pluralidade cultural. Educao Ambiental. Conceitos e Princpios da Educao Inclusiva. Fundamentos scio-histricos e Polticos da Educao.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: 1. ALMEIDA, Berenice; PUCCI, Magda. Outras terras, outros sons. So Paulo: Callis, 2003. 2. BARBOSA, Ana Mae. John Dewey e o ensino da arte no Brasil. So Paulo: Cortez, 2001. 3. BETINA, Rugna. Teatro em sala de aula. So Paulo: Alade Editorial, 2009. 4. BOUCIER, Paul. Histria da dana no ocidente. So Paulo: Martins Fontes, 2001. 5. BRITO, Teca Alencar de. Msica na Educao Infantil: propostas para formao integral da criana. 2. ed., So Paulo: Peirpolis, 2003. 6. CAZNOK, Yara Borges. Msica: Entre o Audvel e o Visvel. Editora UNESP, 2008. 7. DESGRANGES, Flavio. A pedagogia do Espectador. So Paulo: Hucitec, 2003. 8. LAGROU, Els. Arte indgena no Brasil. Belo Horizonte: Com Arte Editora. 9. MARQUES, Isabel. Linguagem e dana. So Paulo, 2010. 10. NUNES, Fabio Oliveira. distrbios em arte e tecnologia. So Paulo: Perspectiva, 2010. 11. PILLAR, Analice Dutra (Org.). A organizao do olhar no ensino das artes. Porto Alegre: Mediao, 19.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA: - 1. COLOMER, Tereza; CAMPOS, Anna. Ensinar a ler. Ensinar a compreender, So Paulo: Artmed, 2002/ 2. FREURI, Reinaldo Matias. Educao intercultural: mediaes necessrias. RJ; ed. DPA, 2003/ 3. FERREIRO, Emlia. Reflexes sobre alfabetizao. 25 ed. So Paulo: Cortez, 2010./ 4.MORIN, Edgar. Os sete saberes necessrios educao do futuro. UNESCO/Cortez Editora, cap. III e IV, p. 47-78, e cp. VI, 93-104, 2000./ 5. GERALDI, Joo Wanderley. Linguagem e ensino: exerccios de militncia e divulgao. Campinas Mercado de letras, 1996./ 6. LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possvel e o necessrio. Porto Alegre: Artmed, 2002./7.ABRAMOVAY, Mirian; CASTRO, Mary Garcia; SILVA, Lorena Bernadete. Juventude e sexualidade. Braslia: UNESCO Brasil, 2004./ 8.ZABALA, Antoni; ARNAU, Laia. Como aprender e ensinar competncias. P.Alegre: Artmed,2010./ 9. SCHNEUWLY, Bernard. Palavra e Ficcionalizao: um cominho para o ensino da linguagem oral. In: SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004./ 10. SOL, Isabel. Estratgia de leitura. Porto Alegre: Artmed, 1998./ 11. TEBEROSSKY, Ana; COLOMER, Tereza. Aprender a ler a escrever: uma proposta construtiva. Porto Alegre: Artmed, 2002./ 12. VYGOTSKY, Lev Semenovitch. Formao social da mente. So Paulo: Martins fontes, 2007./ 13. WEISZ, Telma. O dilogo entre o ensino e a aprendizagem. So Paulo: tica, 2002. LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional 9.394/20/12/1996, PNE Plano Nacional de Educao 10.172 de 2001, Constituio Federal Da Educao, Captulo III, Seo I, ECA Estatuto da Criana e do Adolescente 8.069 de 1990, MEC Braslia. Parmetros Curriculares Nacionais, Vol. 1 e Vol. 10 (10.1,10.2,10.3,10.4,10.5).

AUXILIAR DE ENFERMAGEM-

LINGUA PORTUGUESA - Interpretao e compreenso de textos; ortografia; acentuao; concordncia nominal e verbal; classe de palavras; emprego de pronomes; conhecimentos bsicos da comunicao escrita/produo de textos (coeso, coerncia, informatividade); adequao das variaes lingusticas s diferentes situaes comunicativas; sentido literal e sentido figurado; classes morfolgicas; regncia verbal e nominal; crase; emprego das conjunes; conhecimento gramatical de acordo com o padro culto da lngua; teoria geral da frase e sua anlise: oraes, perodos e funes sintticas.

MATEMATICA - Conjunto dos nmeros naturais: a numerao decimal; mltiplos e divisores de um nmero natural: divisibilidade; mximo divisor comum; mnimo mltiplo comum; nmeros fracionrios; Sistema Mtrico Decimal: permetro de figuras planas; reas de figuras planas (tringulos, quadrilteros, crculos e polgonos regulares); conjunto dos nmeros inteiros relativos; conjunto dos nmeros racionais: resoluo de equaes do 1 grau; razo e proporo; propriedades das propores; diviso proporcional; mdia aritmtica simples e ponderada; regra de trs simples e composta; porcentagem, juros simples e montante; conjunto dos nmeros reais: operaes com polinmios; produtos notveis; fatorao; operaes e resolues de problemas envolvendo os itens do programa; raciocnio lgico.

ATUALIDADES - Elementos de poltica brasileira e mundial; cultura e sociedade brasileira; meio ambiente e cidadania: problemas, polticos pblicos, aspectos locais e aspectos globais; questes da economia nacional e mundial do cotidiano brasileiro; tica profissional; sade e qualidade de vida.

INFORMTICA - Fundamentos de computao e microinformtica. Conceitos de sistemas operacionais. Conceitos bsicos de redes e Internet/Intranet. Conceitos e princpios de proteo e segurana. Operao e utilizao bsica de microcomputador.

CONHECIMENTOS ESPECFICOS: Lei do Exerccio de Enfermagem-Lei N 7.498/86 e Decreto Lei 94.406/87. Cdigo de Enfermagem dos Profissionais de Enfermagem. Relaes Humanas com o Cliente e a Equipe Multidisciplinar Cuidados de Enfermagem Sade do Cliente Adulto, do Idoso, da Mulher, da Criana e do Adolescente Vacinao: aplicao e cadeia de frios; Diluio e preparo de medicamentos; Administrao de medicamento oral e parenteral; Coleta de materiais para exames laboratoriais; Desinfeco e Esterilizao de materiais; Aplicao de nebulizao e oxigenoterapia; Banho de asperso e no leito; Aplicao de enema Cuidados de Enfermagem ao Cliente no Pr e Ps-Operatrio Cuidados de Enfermagem Gestante, Purpera, ao Recm-Nascido e Criana Preveno e Controle de Infeco Hospitalar; Preparo do paciente no ps-morte; Cuidados de Enfermagem no Preparo dos Clientes para Consultas e Exames Complementares; Curativos Sinais Vitais Cuidados de Enfermagem em Atendimento Pr- Hospitalar em emergncias cardio vasculares, respiratrias, metablicas, ginecolgicas e obsttricas, psiquitricas, peditricas e no trauma.

ENFERMEIRO-

LINGUA PORTUGUESA - Interpretao e compreenso de textos; ortografia; acentuao; concordncia nominal e verbal; classe de palavras; emprego de pronomes; conhecimentos bsicos da comunicao escrita/produo de textos (coeso, coerncia, informatividade); adequao das variaes lingusticas s diferentes situaes comunicativas; sentido literal e sentido figurado; classes morfolgicas; regncia verbal e nominal; crase; emprego das conjunes; conhecimento gramatical de acordo com o padro culto da lngua; teoria geral da frase e sua anlise: oraes, perodos e funes sintticas.

MATEMATICA - Conjunto dos nmeros naturais: a numerao decimal; mltiplos e divisores de um nmero natural: divisibilidade; mximo divisor comum; mnimo mltiplo comum; nmeros fracionrios; Sistema Mtrico Decimal: permetro de figuras planas; reas de figuras planas (tringulos, quadrilteros, crculos e polgonos regulares); conjunto dos nmeros inteiros relativos; conjunto dos nmeros racionais: resoluo de equaes do 1 grau; razo e proporo; propriedades das propores; diviso proporcional; mdia aritmtica simples e ponderada; regra de trs simples e composta; porcentagem, juros simples e montante; conjunto dos nmeros reais: operaes com polinmios; produtos notveis; fatorao; operaes e resolues de problemas envolvendo os itens do programa; raciocnio lgico.

ATUALIDADES - Elementos de poltica brasileira e mundial; cultura e sociedade brasileira; meio ambiente e cidadania: problemas, polticos pblicos, aspectos locais e aspectos globais; questes da economia nacional e mundial do cotidiano brasileiro; tica profissional; sade e qualidade de vida.

INFORMTICA - Fundamentos de computao e microinformtica. Conceitos de sistemas operacionais. Conceitos bsicos de redes e Internet/Intranet. Conceitos e princpios de proteo e segurana. Operao e utilizao bsica de microcomputador.

CONHECIMENTOS ESPECFICOS Lei do Exerccio de Enfermagem-Lei N 7.498/86 e Decreto Lei 94.406/87. Cdigo de Enfermagem dos Profissionais de Enfermagem. Cuidado de Enfermagem na Administrao de Medicamentos. Cuidado de Enfermagem pessoa portadora de Diabetes Mellitus. Cuidado de Enfermagem pessoa portadora de Hipertenso Arterial. Cuidado de Enfermagem ao Recm Nascido. Cuidado de Enfermagem Gestante e Purpera. Princpios bsicos aplicados prtica da enfermagem:- Nutrio e hidratao- Regulao trmica- Assepsia mdica e cirrgica- Tcnicas de curativos. Vigilncia Epidemiolgica- Doenas de notificao compulsria- Conceitos- Medidas de controle das doenas transmissveis- Imunizao. tica em Sade, Cdigo de tica na Enfermagem e Legislao Profissional. Polticas de Sade e Sistema nico de Sade. Medidas de Biossegurana e Precaues Padro. Esterilizao e Desinfeco. Portarias Ministeriais que regulamentam a poltica de Ateno s Urgncias. Cinemtica do trauma. Protocolo do atendimento inicial ao traumatizado. Abordagem em situaes de urgncia do tipo:- Traumatismo raquimedular- Leses torcidas- Choque- Traumatismo crnio enceflico- Protocolo de crise hipertensiva- Protocolo da reanimao cardiorrespiratria- O atendimento de urgncia e emergncia e o Sistema nico de Sade- Atendimento ao queimado- Trauma na gestao; Urgncias na infncia.

ANEXO V Modelo de Requerimento de Iseno

PROCESSO SELETIVO n. 001/2016

Eu, nome completo, nacionalidade, estado civil, residente logradouro, n. xxx, bairro xxx, na cidade de xxx, Estado de So Paulo, telefone residencial xxx, telefone celular xxx, portador do Documento de Identidade n. xxx e do CPF n. xxx, inscrito no Cadastro nico para Programas Sociais do Governo Federal - Cadnico - sob n. xxx, de que trata o Decreto 6.135/2007, REQUEIRO a ISENO da taxa de inscrio no Concurso Pblico n. 001/2011, do Municpio de So Pedro, no qual me inscrevi para o cargo de xxx.

So Pedro, xxx de xxx de 2014.

Nome completo e assinatura

Dados Complementares:

Nome completo da me:

Data de nascimento (do requerente):

Sexo: ( ) feminino ( ) masculino

Reservado ao Departamento de Recursos Humanos:

Pedido: ( ) deferido ( ) indeferido

Data da avaliao:

Carimbo e assinatura do servidor responsvel pela anlise.

ANEXO VI HORRIO E DIA DA REALIZAO DAS PROVAS:

Dia 14/02/2016 perodo da manh

Das 09h00min s 12h00min

Obs.: Os portes sero abertos a partir das 8 horas, sendo que s 8 horas e 45 minutos os portes sero fechados e mais nenhum candidato poder adentrar ao local das provas.

Agente Comunitrio de Sade

Agente Cuidador

Professor Estagirio

Servios Gerais

Tcnico em Enfermagem

Enfermeiro

Professor II Ensino Fundamental de Lngua Portuguesa

Professor II Ensino Fundamental de Matemtica

Professor II Ensino Fundamental de Educao Artsticas

29